Alessandra Martins.

Alessandra Martins, ex-VP de vendas para a área de serviços financeiros na Oracle, acaba de assumir o cargo de country manager da Infor Brasil, uma companhia que tem visto muitas mudanças do tipo nos últimos anos.

Ao que tudo indica, a nova country manager substitui Gabriel Lobitsky, vice presidente da Infor para Sul da América Latina, que havia assumido a posição em novembro de 2016.

A nota da Infor não faz menções a substituições, mas a reportagem do Baguete averiguou a saída da de Lobitsky.

Lobitsky, outro ex-Oracle, havia substituído Paulo Padrão, que também durou pouco mais de um ano no cargo.

O padrão de rotatividade vem de anos. Roberto Regente Jr, foi contratado em agosto de 2012, vindo da RSA, permaneceu no comando menos de um ano.

Depois vieram Andre Papaleo e Ivamar Sousa, dois ex-Oracle, dividiram o comando da operação brasileira em 2013, sendo sucedidos no ano seguinte por Fernando Corbi, vindo da SAP. 

A Infor não chega a fazer essa retrospectiva na divulgação de Alessandra, nem uma menção a decisão de recriar o cargo de country manager no país.

Além do cargo de VP na Oracle, Alessandra foi diretora na KPMG, gerente geral na Forrester e diretora no Gartner.

“Esse nova nomeação ressalta o compromisso da Infor com o Brasil. A perspectiva de mercado e experiência de Alessandra reforçarão nossa posição e ajudará a conduzir as empresas rumo à transformação digital”, afira na nota João Ricardo Nene, vice-presidente e general manager da Infor para a América Latina, para quem a country manager reportará.

Nene é ele mesmo uma contração relativamente recente, tendo assumido o cargo em abril de 2017, vindo da SAP, onde passou uma década em altos cargos, encerrando como COO para América Latina.

No final de 2016, o Koch Equity Development, braço de investimentos da gigante industrial americana Koch Industries, investiu US$ 2,5 bilhões ma empresa na Infor.

A Infor é forte no segmento industrial, incluindo algumas empresas do grupo Koch. 

Analistas apontaram que o negócio faz parte de um esforço da Koch em se transformar em uma empresa mais digital, à exemplo do que está fazendo a GE.

A Koch Industries é o segundo maior grupo de capital fechado dos Estados Unidos, com faturamento de US$ 115 bilhões e negócios em petróleo, petroquímica, energia, minério e celulose. 

Se fosse uma empresa aberta, a Koch estaria na 17ª posição no Fortune 500.

A Infor está em meio a uma transição de modelo de negócio, apostando em entrega de software através da nuvem, em particular da Amazon Web Services. Cloud já representa mais da metade da receita, o que é acima da média do mercado.

A companhia fechou o ano fiscal 2017 em abril com uma receita de US$ 2,9 bilhões, uma alta de 8%.