Não existe almoço grátis e em breve pode não ter vale também. Foto: flickr.com/photos/markhillary/

Tamanho da fonte: -A+A

Os vale-refeição e alimentação, que já salvaram mais de um de apuros financeiros, podem estar com os dias contados.

Isso porque a reforma tributária em elaboração pelo governo pode acabar com o abatimento do valor dos vales do imposto de renda pago pelas empresas no regime de lucro real, reduzindo o incentivo do emprego para dar o benefício.

Por sugestão do governo, o relator da reforma tributária, Celso Sabino (PSDB-PA), propôs acabar com esse benefício fiscal, criado em 1976.

Segundo o Ministério da Economia, 280 mil empresas oferecem vale-alimentação e vale-refeição para parte dos 22,3 milhões de trabalhadores dessas firmas. 

A Receita estima que deixará de arrecadar R$ 1,3 bilhão neste ano com essa isenção fiscal. Caso a proposta seja aprovada, o relator prevê que o governo arrecadará R$ 1,4 bilhão em 2022 e R$ 1,5 bilhão em 2023.