INOVAÇÃO

Feevale assina convênio com Instituto Caldeira

20/04/2022 17:03

Parque Tecnológico da universidade busca se estabelecer de forma mais sólida em Porto Alegre.

Cleber Prodanov, reitor da Feevale, e Pedro Valério, diretor executivo do Caldeira. Foto: Caroline Souza/divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Universidade Feevale, sediada em Novo Hamburgo, na Região Metropolitana de Porto Alegre, assinou um acordo com o Instituto Caldeira, hub de inovação da capital gaúcha apoiado pelas maiores empresas do Rio Grande do Sul.

Segundo as instituições, o objetivo é promover esforços conjuntos para fomentar o empreendedorismo inovador e o desenvolvimento do ambiente de inovação.

Na prática, devem ser desenvolvidas ações para levar ao Instituto os programas e serviços executados no Feevale Techpark. Em contrapartida, as empresas do parque tecnológico da universidade poderão utilizar a infraestrutura e serviços do hub de inovação.

“É um benefício muito grande para nossas companhias saber que podem acessar a infraestrutura do Instituto Caldeira e, para nós, será um privilégio receber as suas empresas em nosso parque”, afirma Daiana de Leonço Monzon, diretora de inovação da Feevale.

Segundo Monzon, o convênio é uma das iniciativas que vai permitir que o Feevale Techpark se estabeleça de forma mais sólida em Porto Alegre.

O parque tecnológico já possui unidades nos municípios de Novo Hamburgo, Porto Alegre e Campo Bom, além de infraestrutura nos polos da Universidade em Esteio e Sapiranga.

“As parcerias junto a outros parques e ambientes de inovação, como o Instituto Caldeira, permitem que possamos, cada vez mais, descentralizar os nossos serviços e, também, oferecer oportunidades e espaços diferenciados para as nossas empresas, pois o sucesso deles é o nosso sucesso”, explica a diretora.

Segundo Pedro Valério, diretor executivo do Caldeira, a conexão com as grandes universidades do estado é fundamental para a prosperidade do ecossistema de inovação e há um universo muito grande de oportunidades de articulações conjuntas.

“Estamos conversando, desde a perspectiva de formação de talentos, em uma visão de longo prazo, mas, principalmente, da aproximação das grandes empresas com os empreendedores e as startups da região com toda a comunidade daqui do Instituto”, ressalta Valério.

Em abril do ano passado, o hub já havia assinado um convênio com o Tecnopuc, parque tecnológico da PUC-RS, também visando fomentar o intercâmbio entre startups das duas organizações.

Localizado em uma área de 22 mil metros quadrados, o Instituto Caldeira é formado por 42 companhias, que incluem a nata empresarial gaúcha, representada por nomes como Jorge Gerdau Johannpeter, famílias Renner, Ling, Goldstein e Herrmann.

O grupo conta com empresas tradicionais, como Renner, Sicredi, Panvel, Vulcabras Azaleia, Banrisul, RBS e Randon, e da nova economia, como Agi, 4all, Nelogica, Banco Topázio, SafeWeb, Zenvia, Meta e StartSe.

Com 15 anos de atuação, o Feevale Techpark foi reconhecido pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) como um dos três melhores parques tecnológicos do Brasil.

Atualmente, o parque possui unidades em Campo Bom, Novo Hamburgo e Porto Alegre, contando com mais de 100 empresas que somam cerca de 700 funcionários. Em 2021, a instituição faturou cerca de R$ 200 milhões.

Veja também

MEIAS
Lupo terá hub de inovação

Espaço será inaugurado neste ano e contará com o Onovolab.

IMÓVEIS
Quinto Andar faz cortes na equipe

Funcionários falam em 20%, a empresa diz que o número é menor.

ECOSSISTEMA
Accenture contrata ex-Wayra para inovação

Carolina Morandin atuava há cinco anos no hub da Vivo.

INDÚSTRIA
Belgo Bekaert cria diretoria de inovação e digital

Área é liderada por André Ghion, ex-CPO da Distrito, e tem oito gerências.

ALTA
Joinville: número de startups cresce 41,3%

Na cidade, uma média de 24 de empresas do gênero são criadas por ano.

MOBILIDADE
99 lança centro de inovação focado em motoristas

Nova área terá o investimento de R$ 250 milhões nos próximos três anos.