Alberto Menache, presidente da Linx. Foto: Divulgação.

A Linx, fornecedora de software de gestão (ERP e POS) para o varejo, anuncia a aquisição da empresa ITEC Brazil. Com mais de 10 anos no mercado, a empresa atua no desenvolvimento e comercialização de softwares de gestão e automação de farmácias, com foco em redes de médio e grande porte. 

Pela aquisição da ITEC Brazil, a Linx pagará o total de R$ 16,4 milhões à vista e, adicionalmente, sujeito ao atingimento de metas financeiras e operacionais para os anos de 2018 a 2020, poderá pagar o valor de até R$ 9,1 milhões.

O faturamento bruto da empresa nos últimos 12 meses totalizou R$10,5 milhões.

A especialização no segmento de farmácias já havia ganho um reforço na Linx com a compra da Softpharma, desenvolvedora de softwares de gestão e automação para o segmento, realizada em dezembro de 2014. 

Na época, a companhia pagou R$ 44 milhões à vista, com previsão de investir até R$ 21 milhões adicionais nos dois anos seguintes.

De acordo com dados de IMS Health, BMI Research e Abrafarma, o mercado farmacêutico é formado por aproximadamente 82 mil estabelecimentos que movimentam anualmente perto de R$ 78 bilhões de reais. 

“A Linx está sempre avaliando segmentos potenciais importantes, como o de farmácia, buscando empresas sólidas, promissoras e com soluções complementares ao nosso portfólio”, afirma Alberto Menache, presidente da Linx.

Com matriz em Aparecida de Goiânia, a ITEC Brazil atende empresas em 19 estados. Os principais clientes da companhia são Dose Certa, Droga Fuji, Drogaria Brasil, Drogasmil, Farmácia Nacional, Farmácia Real, Farmácias São Paulo, Drogaria Globo, Indiana Drogaria, Grupo Jorge Batista, Maxifarma, Morifarma, Natus Farma, OnoFarma, Rede Pharma, Drogaria Rosário, Santa Lucia Farmácia, Sesi Farmácia, Drogarias Tamoio, Farmácias Trajano e Unipreço.

De maneira geral, a Linx vem empilhando compras. Desde 2008, foram 26 processos nacionais e um processo internacional, em áreas como lojas, farmácias, alimentação e postos de gasolina.

A Linx fechou o ano passado com uma receita operacional bruta de R$ 656,1 milhões, um aumento de 15,5% em relação a 2016. O resultado é um aumento de ritmo frente ao ano de 2016, quando a Linx cresceu 12%, ainda que fique longe de indicadores como os de 2015 (22%).