Totvs, RD e Locaweb.

A RD Station, startup de marketing digital líder no segmento de inbound marketing, divulgou um plano de investimentos de R$ 100 milhões a serem investidos em pesquisa e aquisição de outras empresas ainda em 2021.

A divulgação dos planos da empresa, antes conhecida como Resultados Digitais, acontece ao mesmo tempo em que a própria RD é especulada como objeto de uma disputa entre Totvs e Locaweb.

Segundo publicou o Estado de São Paulo em janeiro, ambas companhias estariam interessadas em adquirir a RD, em um negócio que poderia chegar a R$ 1 bilhão.

A RD, é claro, não menciona essa negociação, sobre qual nem a Totvs nem a Locaweb se pronunciaram oficialmente. De acordo com o Estadão, a negociação estaria “na fase final”.

Em uma entrevista nesta semana ao NeoFeed, Fernando Cirne, CEO da Locaweb, reconheceu indiretamente o interesse, ao mesmo tempo em que desconversou sobre a negociação em si.

“Não é uma questão de ser ou não a RD Station. Mas o mercado de automação de marketing, que é onde a RD Station atua, nos interessa”, disse Cirne. 

A nota da RD cria uma situação a três, que os fãs de filmes de velho oeste definiriam como um “mexican stand off”, no qual cada parte tenta ler as intenções da outra, ao mesmo tempo em que ela mesma é analisada.

Assim, é possível entender que a companhia catarinense aproveitou o interesse para divulgar uma informação que melhora seu perfil público e por tabela o valor em uma venda.  

Ou dá para entender que a venda não saiu no final (a notícia do Estadão é de 10 de janeiro) e que a RD resolveu gerar um fato novo relacionado com a sua atuação independente.

De acordo com o Estadão, a RD Station, fatura cerca de R$ 150 milhões por ano, mas sua expansão anual seria da ordem de 50%.

A empresa foi fundada em 2011 e hoje possui mais de 25 mil clientes em cerca de 20 países, 700 funcionários, alçando a posição de líder desse mercado no Brasil.

A RD é controlada por um dos maiores fundos globais focados em tecnologia, o americano Riverwood. Fundos gostam de realizar investimento, e uma forma de fazer isso é vender.

Totvs e Locaweb são compradoras frequentes de outras empresas de tecnologia. 

A Locaweb tem R$ 2,2 bilhões para aquisições e vem comprando com frequência. Foram oito aquisições depois de abrir capital na bolsa em fevereiro de 2020.

A maior delas foi a da Vindi, uma empresa de software as a service (SaaS) que processa e faz a gestão de pagamentos recorrentes com clientes como Exame, Empiricus e a própria RD, por R$ 180 milhões.

A RD tem muita aderência com o portfólio de soluções de marketing digital que a Locaweb está construindo. Mas a verdade é que uma compra na faixa de R$ 1 bilhão seria uma tacada bem maior do que a empresa deu até agora.

Para a Totvs, a RD não está exatamente no core. A empresa é forte em sistemas de gestão e não tem uma oferta estruturada de marketing digital. Por outro lado, a Totvs vem diversificando suas compra e está acostumada a grandes negócios.

Em 2019, a Totvs comprou a Supplier, uma empresa especializada em intermediação de operações de crédito entre clientes e fornecedores, por R$ 455,2 milhões, a terceira maior compra já feita pela Totvs na sua história.

Em 2020, a Totvs disputou com a Stone a aquisição da Linx, com uma oferta de R$ 6,6 bilhões, com boa parte do pagamento em ações de uma nova empresa a ser criada. A Stone venceu a parada.