Aplicativo é parte das ações da TIM para o mês da Consciência Negra. Foto: Pexels.

A TIM lançou o Teclado Consciente, um aplicativo que reconhece palavras consideradas preconceituosas quando digitadas no celular e sugere alternativas neutras.

O app, definido pela operadora como “corretor ortográfico social” visando contribuir com a “desconstrução do racismo estrutural”, é gratuito e está disponível para iOS e Android inclusive para clientes de outras empresas. 

A lista inclui 225 palavras ou expressões, elaborada por profissionais negros da consultoria de pesquisa de mercado Vírgula. Questionada pela reportagem do Baguete, a TIM mandou uma lista de 20 exemplos.

A lista inclui desde expressões obviamente racistas, como "serviço de preto", "pretinho de alma branca" ou "preto é tudo igual", algumas outras para as quais está se formando um consenso, como "denegrir" e também algumas expressões de uso corrente como "mercado negro", "doméstica" ou "ovelha negra".

No caso de mercado negro e ovelha negra, a explicação do app é que a palavra negro se usa para referir a algum ruim, o que teria origem na cor das pessoas e se "espalhou por todo o nosso vocabulário".

No caso de doméstica, a expressão teria origem "nas mulheres negras escravizadas que trabalhavam nas casas de famílias brancas e eram consideradas domesticadas", e deveria ser substituída por "trabalhadora, funcionária ou secretária do lar".

A lista também traz algumas curiosidades, como o fato da palavra "enfezado" ter origem em "ex-escravizados realizavam o trabalho de recolher as urinas e fezes que eram jogadas nas rua" ou "nhaca", ser um termo que vem de Inhaca, uma ilha de Maputo, localizada em Moçambique, usada pelos povos Nhaca com o significado de "rei", mas no Brasil, como uma referência ao "odor forte ou ruim relacionado às pessoas negras".

“Retirar expressões racistas do nosso vocabulário reforça a empatia, a capacidade de se colocar no lugar do outro e construir um futuro sem preconceitos”, destaca Ana Paula Castello Branco, diretora de Advertising e Brand Management da TIM.

O teclado será divulgado por 12 influenciadores negros de diversos segmentos, que vão se unir para produzir conteúdo. 

São destaques nomes como o humorista Yuri Marçal; a pesquisadora Winnie Bueno; Murilo Araujo, do canal Muro Pequeno; Gleici Damasceno, campeã do BBB18; o fotógrafo Roger Cipó; e a cantora Lellê, dentre outros. IZA, embaixadora da marca, também amplificará a discussão, assim com a influenciadora Camilla de Lucas, do squad da TIM no TikTok.

O Teclado Consciente da TIM foi criado pela agência digital Havas como parte das ações do mês da Consciência Negra e foi lançado pela empresa na quinta-feira, 19, um dia antes da data comemorativa.

A questão racial no Brasil se tornou o assunto do momento no país no mesmo dia, quando seguranças do Carrefour mataram um homem negro em Porto Alegre, após um incidente ainda não totalmente esclarecido dentro do supermercado.