Projeto está sendo desenvolvido em fábrica da WEG localizada em Jaraguá do Sul, Santa Catarina. Foto: divulgação.

A Nokia e a WEG, empresa catarinense que é uma das maiores fabricantes de equipamentos elétricos do mundo, acabam de lançar um projeto para acelerar e viabilizar o desenvolvimento de soluções em indústria 4.0 com rede privada construída em 5G standalone (SA).

Batizado de Open Lab WEG/V2COM, o projeto conta com a parceria da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e da Anatel, e vai utilizar a plataforma Nokia Digital Automation Cloud (DAC) para validar a qualidade e o modelo econômico das soluções a serem desenvolvidas.

Com duração prevista de um ano, o projeto está sendo desenvolvido em um ambiente real de produção, na fábrica da WEG localizada em Jaraguá do Sul, Santa Catarina. No local, que terá a função de laboratório, uma rede privada 5G será testada simultaneamente a uma rede convencional de uma operadora.

Serão desenvolvidos casos práticos e avançados de indústria 4.0 para verificar o ganho de produtividade que a solução poderá trazer, permitindo consolidar modelos consistentes a serem aplicados em projetos de automação industrial.

Pensando no avanço da tecnologia pós-pandemia e nas melhores condições de uso do 5G, serão avaliadas duas radiofrequências: uma, abaixo de 6 gigahertz (GHz), e outra mais alta, entre 27,5 GHz e 27,9 GHz. 

Um instituto de pesquisa independente fará as devidas análises de desempenho e os resultados contribuirão para os estudos da Anatel sobre regulação das redes privadas 5G para usos empresariais.

De acordo com a Nokia, o projeto é o exemplo mais recente do uso de redes privadas 5G da companhia para alavancar, como fornecedora líder e parceira tecnológica, o patamar da indústria 4.0 no Brasil. 

“O projeto da planta piloto 5G na WEG trará a possibilidade não somente de apoio aos estudos oficiais do emprego da tecnologia no Brasil, como também acelerará o desenvolvimento e testes de produtos e soluções WEG/V2COM para nossos clientes”, acrescenta Guilherme Spina, diretor da V2Com.

Apostando na indústria 4.0, a WEG comprou 51% do capital social da V2Com, empresa especializada em Internet das Coisas e soluções de telemedição para sistemas de energia elétrica e smart grid, em outubro de 2019.

Menos de um mês antes, a companhia fez uma outra compra, também de 51%, em outra empresa paulista ligada ao mundo da manufatura digital: a PPI-Multitask, especializada em automação industrial. 

Fundada em 1961, a WEG é uma empresa global de equipamentos eletroeletrônicos, atuando principalmente no setor de bens de capital com soluções em máquinas elétricas, automação e tintas, para diversos setores, incluindo infraestrutura, siderurgia, papel e celulose, petróleo e gás, mineração, entre muitos outros.

Com operações industriais em 12 países e presença comercial em mais de 135 países, a companhia atingiu faturamento líquido de R$ 17,4 bilhões, em 2020, ano em que teve uma alta de 45% em seus lucros.

Já a finlandesa Nokia, foi fundada em 1865 e tem clientes provedores de serviços de comunicação que suportam mais de 6,4 bilhões de assinantes com suas redes de rádio, enquanto os clientes corporativos implantaram mais de 1,3 mil redes industriais em todo o mundo.

A companhia conta com mais de 220 grandes clientes corporativos, dos quais mais de 30 adotam 5G.