Com vocês, a Formiga BIT.

Pelotas acaba de entrar para a lista de localidades que buscam reforçar a sua associação com o setor de tecnologia com o uso da palavra “Vale”, nesse caso com nome “Candy Valley”.

No caso da cidade gaúcha, o nome é um trocadilho com o fato de Pelotas ser uma tradicional fabricante de doces ao estilo português, em mostra todos os anos na Feira Nacional do Doce – Fenadoce, um evento que atrai milhares de visitantes.

O Candy Valley já tem inclusive um mascote, a formiga BIT, escolhida por meio de um edital feito pelo Pelotas Parque Tecnológico. A disputa foi vencida por Igor Lopes Donini, do curso Cinema de Animação da Universidade Federal de Pelotas. 

A proposta ficou em primeiro lugar após votação pública por meio de formulário online e recebeu 57,4% dos votos. 

O edital foi uma parceria entre o Parque, a UFPel e o coletivo Candy Valley para potencializar a identidade visual do parque na promoção de ações de inovação e tecnologia.

Quanto à inspiração para a BIT, Igor fez um apanhado de referências da cultura pop/geek aliadas a cores e formas que remetessem a tecnologia e a “doçura” da cidade. A formiga já é o símbolo da Fenadoce.

Atualmente, 63 empresas atuam no Pelotas Parque Tecnológico, sendo 23 instaladas nas áreas geridas pelo Parque, sete no coworking, 15 incubadas, 18 pré-incubadas, totalizando 200 funcionários. 

Hoje estão instaladas no parque a Cigam (sistemas de gestão), Melhor Envio (plataforma de cálculo de frete), TopWay Suporte (suporte da rede de franquias TopWay), Freedom (fabricante de cadeiras de rodas), Gestum (tecnologia de e-learning), Outdabox (mídia) e Vetorial (provedor de internet).

O parque tecnológico de Pelotas foi inaugurado em 2016 pela prefeitura da cidade, através da reforma de um complexo de quadras de pádel cobertas idealizado por empresários locais no auge da febre do esporte nos anos 90.

O foco são as áreas de saúde, tecnologia da informação e economia criativa, fortes na cidade.

Com seis instituições de ensino superior e mais de 30 mil estudantes universitários Pelotas tem a seu favor um custo de mão de obra menor e menos disputa por talentos em relação a grandes centros.