Agência do Itaú. Foto: divulgação.

O Itaú acaba de adquirir o software Ariba da SAP para fazer a sua gestão de compras.

A informação faz parte do balanço trimestral da SAP do Brasil, divulgado nesta quarta-feira, 25.

O projeto é mencionado junto com outros novos contratos de soluções na nuvem e a SAP não deu maiores detalhes no texto sobre o escopo, os prazos ou parceiros envolvidos no projeto do Itaú.

Seja como for, um projeto de digitalização de gestão de compras pode ter um grande impacto no Itaú, o terceiro banco em agências no Brasil, com 3.6 mil unidades e também o terceiro em funcionários, com  81 mil.

A SAP tem alguns clientes referência no meio bancário usando Ariba, incluindo o Deutsche Bank, JPMorgan Chase e o Santander.

O Itaú vem investindo há tempos em tecnologias da SAP, mas, como muitas organizações do meio financeiro, não é exatamente pródigo em compartilhar informações internas. 

Em julho do ano passado, em outro balanço trimestral, a SAP divulgou que o banco estava usando o banco de dados em memória Hana da SAP para fazer um projeto de Big Data.

Também nessa vez, não havia muitas informações a mais, somente que, a partir da plataforma, será possível combinar dados estruturados e dados não estruturados, gráficos e análises geoespaciais e processamento de eventos complexos em tempo real.

No Facebook, existe uma marcação de local chamada "Projeto de ERP Itaú Bradesco", no qual um colaborador do banco fez uma postagem em agosto de 2015 comemorando um go live, aparentemente de tecnologia SAP.

Provavelmente, tudo está hospedado no data center do Itaú, inaugurado em 2015 a um custo de R$ 3,3 bilhões. 

Fora do mundo SAP, o banco também está se mexendo, com iniciativas de grande visibilidade como o Cubo,  uma incubadora para startups em São Paulo que hoje abriga 53 companhias (um número não revelado delas já trabalha para o banco).

No ano passado, a instituição anunciou o “Fellows”, um programa de contratações visando encontrar profissionais com experiência em tecnologia, startups ou empresas “ponto com” para “liderar os projetos de transformação digital do banco” a partir de janeiro de 2017.

O Ariba foi adquirido pela SAP em 2012 por US$ 4,3 bilhões. Naquele momento, ele ainda tinha uma base pequena de clientes no Brasil.

A empresa investiu no produto no país, trazendo para liderar a área em 2015 Luiz Fernando Caldas, um dos fundadores da  plataforma de negociação B2B carioca Webb, fundada ainda nos anos 2000 e hoje chamada de Nimbi.

Em entrevista com o Baguete em agosto de 2015, Alexander Atzberger, presidente da Ariba, destacou os investimentos em localização feitos para o Brasil.

Parte desse trabalho foi feito pelo SAP Labs Latin America, centro de desenvolvimento da multinacional instalado em São Leopoldo, na região metropolitana de Porto Alegre.