Rafael Forte.

A VTEX, maior empresa brasileira de plataforma de e-commerce, é a primeira latino americana a entrar no Quadrante Mágico do Gartner do segmento.

A empresa brasileira ficou no quadrante dos Players de Nicho do relatório, que tem ainda categorias de Visionários, Desafiante e Líderes.

O Gartner posiciona 20 empresas no quadrante com base no posicionamento nos vetores habilidade de entregar e perfeição da visão. Os players de nicho, no caso, estão nas fases iniciais das duas. 

São analisados fatores como visão de negócios, a presença global, a carteira de clientes e o índice de satisfação, bem como a parte técnica da plataforma, casos de uso e funcionalidades.

“Nossa presença no relatório é o principal indício de que iniciativas em países emergentes têm o mesmo potencial de se tornarem soluções reconhecidas e com a capacidade de competirem em nível global”, avalia Rafael Forte, country manager Brasil da VTEX.

O posicionamento é importante. Pelas previsões do Gartner, até 2018, 50% dos sites vão funcionar com tecnologias de um grupo de apenas 15 fornecedores.

O relatório de 2017 não está disponível na totalidade (o Gartner cobra um bom dinheiro por isso).

No ano passado, o quadrante dos Líderes era ocupado por Oracle, IBM e SAP e o de Desafiadores por Magento e Digital.

O quadrante de Players de Nicho continha a maioria dos participantes e incluía nomes como Netsuite, Intershop, Shopify e Episerver, todos eles listados também nesse ano.

Poucas empresas brasileiras já foram mencionadas em Quadrantes Mágicos do Gartner.

Nos últimos anos, a Neogrid entrou no primeiro relatório do tipo para Serviços de Integração de Dados. Na área de segurança, foram destacadas a E-Trust e N-Stalker.

Presente 17 países, a VTEX faturou R$ 105 milhões no ano passado, uma alta de 64% frente ao ano anterior. Para esse ano a meta é crescer quase 50%, chegando a R$ 145 milhões.

A VTEX tem uma carteira de 2 mil clientes, incluindo nomes como Ambev, Electrolux, O Boticário, Nestlé, Alpargatas entre outros.