PESSOAS

Ahgora compra Velti e WebTraining

26/10/2021 15:49

As duas aquisições da HR tech catarinense somam R$ 30 milhões.

Lázaro Malta, CEO da Ahgora. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Ahgora Sistemas, catarinense que desenvolve tecnologias para gestão de pessoas, anunciou a aquisição de 100% das empresas WebTraining e Velti com um investimento total de R$ 30 milhões.

A WebTraining é uma empresa com sede em Americana, São Paulo, fundada em 1998. Ela fornece sistemas de educação a distância no modelo Software as a Service (SaaS) no ramo de e-learning corporativo.

Sua plataforma conta com formação de trilhas e seleção de conteúdos baseados nas preferências dos usuários, algoritmo para recomendação do conteúdo baseado em histórico e acesso, além de ter uma assistente virtual com inteligência artificial.

Hoje com 30 funcionários, a empresa possui 15 clientes com 300 mil usuários ativos. No seu portfólio, estão nomes como Pernambucanas, Suzano, Itaú, Marfrig Global Foods, Klabin e VLI Logística.

Já a Velti Sistemas, criada em 2009, é especializada no desenvolvimento de softwares e equipamentos de gestão de ponto e acesso. A empresa tem matriz em Curitiba e filial em Salvador, além de revendas autorizadas em todo o Brasil. 

Com mais de 40 funcionários, a companhia fornece seu software para mais de 15 mil empresas com cerca de 500 mil usuários. Entre elas, estão Correios, Crefisa, BMW, Drogarias Pacheco, Prefeitura Caxias do Sul e Infraero. 

Segundo a Ahgora, as aquisições fazem parte do seu movimento para se consolidar como uma empresa de Human Capital Management (HCM), oferecendo treinamento, educação, benefícios e toda sua gama de serviços e produtos para a jornada de trabalho e relações trabalhistas.

“Toda educação é valiosa e sentimos a necessidade de trazê-la para o nosso ecossistema, aumentando sua eficiência operacional com a aquisição da WebTraining e da Velti. Almejamos terminar 2022 gerindo 3 milhões de vidas com nossos sistemas”, destaca Lázaro Malta, CEO da Ahgora.

Além disso, a ampliação do alcance da Ahgora, com os clientes que se somam, deve fortalecer as iniciativas da Ahfin, fintech da empresa com foco em saúde financeira para colaboradores.

Alexandre De Munno Francisco, CEO da WebTraining continuará à frente da operação. 

“Encontramos sinergia em nossos negócios e em nossos valores: ética, transparência, comprometimento com resultado, flexibilidade e inovação. Nos unimos para alavancar resultados e compliance na gestão de pessoas”, conta Francisco.

Para Allan Macedo, CEO da Velti, a soma à Ahgora, que antes era concorrente, fará com que o nível das soluções se eleve, impactando o mercado do qual fazem parte. 

“Nossos modelos de negócio são similares e, juntos, teremos um crescimento ainda maior. É um novo começo, agora mais fortes, com mais conhecimento agregado e mais potencial”, afirma Macedo.

Como próximos passos, a Ahgora ainda planeja a abertura de capital e a internacionalização para cinco países da América Latina: México, Colômbia, Argentina, Chile e Peru.

Fundada em 2006, a Ahgora Sistemas tem sede em Florianópolis com mais de 250 funcionários e utiliza ferramentas baseadas em internet das coisas (IoT), inteligência artificial (IA) e computação em nuvem para gerenciar colaboradores em tempo real.

A empresa conta com mais de 4 mil clientes, como LG, Samsung, Via Varejo e Bauducco, que somam mais de 1 milhão de colaboradores utilizando suas plataformas.

Veja também

B2B
UOL EdTech compra Skore

Com a aquisição, a empresa amplia sua atuação no mercado de PMEs.

RH
EMotta lança registro de ponto por WhatsApp

Marcação de ponto pelo aplicativo com geolocalização é recurso inédito no mercado.

AQUISIÇÃO
Banco BMG quer comprar O2OBOTS

A startup catarinense é especializada em chatbots para venda de produtos financeiros.

RH
Gupy compra Niduu

Esta é a primeira aquisição da startup, que recebeu um aporte de R$ 40 milhões em 2020.

FINTECH
Serasa compra PagueVeloz

A empresa catarinense é especializada em sistemas de pagamento e cobrança.

BIG DATA
B3 fecha compra da Neoway por R$ 1,8 bi

Negócio é o maior da história da bolsa brasileira desde a fusão da com a Cetip, em 2017.