Ricardo Alário, presidente da Odata. Foto: Divulgação.

A gestora de fundos Pátria Investimentos fundou a Odata para entrar no mercado de data centers. A empresa recebeu aporte inicial de R$ 200 milhões e vai começar a construir um centro de dados na cidade de Santana de Parnaíba, no interior de São Paulo, nas próximas semanas. 

Segundo o Valor Econômico, a unidade, de 13,5 mil m2, ficará pronta no primeiro trimestre de 2017 e receberá mais R$ 250 milhões em recursos nos próximos três anos.

O investimento está sendo feito por meio do terceiro fundo destinado ao segmento de infraestrutura da Pátria, que conta com US$ 1,7 bilhão em recursos e tem cinco investidas, com a Vogel, focada em fibra óptica, e a Highline, de torres de telefonia móvel.

A Odata planeja montar mais três centros de dados em até cinco anos. A empresa ainda pretende adquirir companhias menores para estabelecer uma presença regional na América Latina. 

Ricardo Alário, ex-diretor do fundo de investimento Intel Capital e presidente da Odata, relatou ao Valor que os alvos iniciais são companhias no Chile e na Colômbia.

A Odata vai atuar no segmento de colocation. A estimativa da empresa é que a procura por armazenamento em centros de dados neste modelo vá crescer mais de 20% na América Latina nos próximos anos.

Para a direção de infraestrutura e tecnologia, a Odata contratou Bruno Pagliaricci, que atuou na Tivit por 15 anos.

Os investimentos em data centers estão em alta no Brasil. A Equinix, que também atua com colocation, anunciou em março a construção de 4 novos data centers, que serão em São Paulo, Tóquio, Dallas e Sidney.

Segundo a empresa, o plano em São Paulo é atender a demanda reprimida por colocation no estado, visto que o site da empresa em Tamboré está operando quase em seu máximo. O novo centro dobrará a capacidade da companhia no Brasil.

Já a Ascenty, que também oferece colocation, iniciou a construção de seu primeiro data center na capital paulista, que representará um investimento de cerca de R$ 200 milhões. A empresa tem três centros localizados no estado de São Paulo – Jundiaí, Campinas e Hortolândia – e um na região metropolitana de Fortaleza, no município de Maracanaú.

No início deste ano, a TechxAct, uma empresa americana especializada em certificação e construção de data centers, anunciou planos para construir três centros de dados no Brasil, com um investimento total de US$ 5,4 bilhões.

O objetivo do investimento seria atender clientes da companhia que não querem ter seus dados armazenados nos Estados Unidos.