Sandro Cortezia, CEO da Ventiur e Guilherme Kudiess, o novo COO.

A Ventiur, aceleradora sediada em Porto Alegre que está entre as mais destacadas do país, fechou a aquisição da Winnova, outra aceleradora sediada na capital gaúcha com forte presença em startups da área de agronegócio.

A Winnova tem sete startups no portfólio (Agenciou, Solentech, PremaCar, SmartLife, Weeplay, Sijur e JusAPI), nas quais foram investidos R$ 1,3 milhão.

Com a compra, Guilherme Kudiess, sócio e diretor da Winnova, passa a atuar como COO da Ventiur, tendo como primeira missão o programa Ventiur AgTech.

A nova frente será lançada nesta semana na Expointer, evento de agronegócio realizado em Esteio, na região metropolitana de Porto Alegre, que está entre os maiores do país.

“O agro é um dos principais motores do Brasil, passa por um momento de transformação digital profunda e existem muitas oportunidades para inovar”, afirma Carlos Klein, um dos fundadores e presidente do Conselho da Ventiur.

A Ventiur tem ainda outros dois fundos em operação, com investidores  da Serra Gaúcha, ligado a ao TecnoUCS e empresas da região, dentro de um movimento mais amplo chamado Hélice e outro grupo de investidores ligado ao Tecnosinos, parque tecnológico da Unisinos. 

“Existe um distanciamento muito grande das aceleradoras, a maioria localizada em grandes capitais, das startups agro, geralmente próximas aos seus clientes no interior dos estados”, aponta Kudiess. “Vamos somar ao time da Ventiur mirando em startups ‘pé-no-barro’”, agrega.

Lançada em 2012, a Ventiur faz parte da primeira onda de aceleradoras a serem criadas no Brasil. A aceleradora tem mais de 40 startups investidas, chegando a um total de R$ 15 milhões captados.