O olho do dono, etc. Foto: Pexels.

A Microsoft acaba de lançar uma ferramenta que permite saber quanto tempo os usuários passam por dia em ferramentas  da suite de produtividade da empresa como Email, Teams e Word, com direito a detalhes como se a pessoa liga a câmera em um meeting ou não.

Tudo faz parte de uma solução chamada Productivity Score, que está sendo criticada como uma ferramenta de “vigilância no ambiente de trabalho”.

Com o software, é possível comparar a produtividade de uma empresa com outras do mesmo segmento em um período de 28 dias.

Segundo especialistas ouvidos pelo Business Insider, a Microsoft pode ter ido longe demais, pelo menos tendo em conta regulações de privacidade em alguns países da União Europeia.

O problema é que a ferramenta não pede consentimento dos funcionários, apontam os especialistas. De fato, a ferramenta traz o monitoramento de todos os empregados na sua opção default.

Outros especialistas apontaram que a ferramenta pode encorajar os funcionários a trabalharem tendo em vista melhorar a sua pontuação no algoritmo, e não necessariamente os resultados para a empresa.

(O que, sendo sincero, é uma prática mais velha do que andar para frente no mundo corporativo, antes que o trabalho fosse vigiado por algoritmos).

A Microsoft se defende, dizendo que o Productivity Score não é uma ferramenta de monitoramento, mas se destina a dar “insights sobre uso de infraestrutura”, em temas como tempos longos de boot, falta de colaboração em documentos ou conectividade ruim. 

A empresa também frisa que os dados são coletados no nível de usuário para que os administradores de TI possam oferecer orientação. Tá certo.

A verdade é que com a pandemia causando uma migração em massa para o home office, muitos empregadores estão desconfiando que os funcionários não fazem nada em casa.

Em junho, o Gartner divulgou que 16% dos empregadores estavam usando ferramentas para monitorar uso de emails e computadores. Uma ferramenta especialmente popular é o Sneek, que tira fotos pela webcam a cinco minutos.