Eduardo Del Guerra Prota, gerente geral da N26 no Brasil. Foto: Divulgação.

Eduardo Del Guerra Prota foi contratado para liderar a N26 no Brasil. Maximilian Tayenthal, CEO da empresa, anunciou a entrada no mercado brasileiro durante o Mobile World Congress, em Barcelona.

Prota foi diretor da plataforma aberta da Cielo nos últimos dois anos. O executivo também participou, como consultor, do movimento de lançamento de mercado do Social Bank. Prota já trabalhou também como Santander e Banco Real.

A chegada da N26 ao país será o primeiro movimento do banco digital alemão na América Latina.

Em janeiro, a fintech levantou US$ 300 milhões em uma nova rodada de financiamento, que avaliou a startup em US$ 2,7 bilhões. Desde sua fundação, a empresa já levantou US$ 500 milhões.

O objetivo da empresa no Brasil é oferecer um pacote de serviços bancários via dispositivos móveis por meio de uma parceria com um banco local, que ainda será formada.

Caso opte por operar como um banco independente no futuro, indo além da parceria com uma instituição do país, será necessária uma autorização dos reguladores brasileiros. 

A Reuters explica que, na Europa, o N26 começou a atuar com parcerias, mas acabou se transformando em um banco independente.

Fundado em 2015, o banco alemão tem hoje 2,5 milhões de clientes em 24 países da Europa.

Entre os investidores da fintech estão nomes como Insight Venture Partners, o fundo soberano de Cingapura (GIC), Tencent Holdings, o braço de investimento digital do grupo segurador Allianz e o investidor do Vale do Silício Peter Thiel.