Futuro usuário de Microsoft na escola? Foto: flickr.com/photos/mg315

A Microsoft está disponibilizando gratuitamente o Ofice 365 (aplicação online da empresa) para instituições de educação em todo o mundo.

Na oferta, a empresa abre um pacote baseado na nuvem que inclui as versões online das soluções Office, Exchange, SharePoint e Lync, permitindo acesso a e-mails, calendário, conferências, além de edição e compartilhamento via Web de documentos em Word, Excel e PowerPoint.

Além do modelo gratuito, a Microsoft vai oferecer dois planos pagos de assinatura, que darão acesso a recursos mais avançados.

O primeiro deles envolverá uma taxa média de US$ 2,50 por aluno, e de US$ 4,50 professor e funcionário da instituição - ambos os casos ao mês.

No segundo formato, as assinaturas serão respectivamente de US$ 3 e US$ 6.

“Queremos dar acesso a uma plataforma de colaboração que mudará paradigmas”, empolga-se Anthony Salcito, vice-presidente mundial de Educação da Microsoft.

EVOLUÇÃO COM DESCONTO
A oferta é uma evolução do pacote de aplicativos live@edu, lançado em 2007 e atualmente com 22 milhões de usuários no mundo.

Com acesso exclusivo pela internet e tendo como alvo instituições de ensino públicas e privadas, a nova versão inclui ferramentas de produtividade, colaboração e gestão administrativa.

Outras versões do pacote são quase quatro vezes mais caras.

A Small Business, para empresas com menos de 25 funcionários, por exemplo, custa US$ 6 por usuário ao mês, e o Office 365 Enterprise com a possibilidade de usar o pacote Office Professional Plus, com mais recursos de e-mail e rede, sai por US$ 22/usuário/mês.

COMPETIÇÃO VS GOOGLE
Quem compete com a Microsoft na área é o Google.

A suíte Google Apps Education Edition inclui Google Docs, Gmail, GTalk, Google Sites, Google Calendar, suporte 24 horas (através de um fórum online de usuários moderado pela empresa americana) e acesso aos APIs da solução, de forma gratuita no plano básico.

De acordo com o Google, 16 milhões de estudantes usam sua ferramenta no mundo.

Já a Microsoft anuncia 40 milhões de usuários de Office 365 (entre educação, governo e corporativo). Para a companhia, trata-se de um marco com adoção oito vezes mais rápida do que a geração anterior de serviços, o Business Productivity Online Suites (BPOS), em diversos países.

FEEVALE DE OLHO?
No Brasil, a tecnologia foi lançada há sete meses e já foi adotada por empresas de todos os portes.

Segundo a Microsoft, entre os usuários em potencial no Brasil está a Fundação Instituto de Administração (FIA) e a Universidade Feevale, de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul.

De acordo com Carlos Henrique Schwartzhaupt, o gerente de TI da Feevale, as novas soluções devem facilitar o acesso dos alunos as ferramentas da universidade em qualquer lugar e revolucionar o relacionamento do aluno com as questões acadêmicas.

“Nossa expectativa com o Office 365 para educação, entre outras coisas, é estreitar a comunicação universidade/aluno. Já na retomada das aulas no segundo semestre de 2012 estaremos estudando a utilização dos lançamentos”, comenta.