Ao todo, a FIA Online oferece 12 cursos. Foto: divulgação.

A Fundação Instituto de Administração (FIA), uma das escolas de negócios mais prestigiadas do país, lançou um aplicativo desenvolvido pela UOL EdTech para alunos de pós-graduação e MBA.

Através da nova plataforma, o estudante consegue assistir a todas as aulas nos modos on e off-line, ouví-las em formato de podcast, compartilhar trechos de seu conteúdo nas redes sociais, entregar trabalhos e realizar provas.

Disponível em Android e iOS, o aplicativo FIA Online oferece cursos exclusivamente a distância. Entre eles, estão liderança e gestão estratégica de pessoas, novas tecnologias, transformação digital e agilidade, cibersegurança e proteção digital de negócios.

“Com o lançamento do aplicativo FIA Online, oferecemos mais uma opção para que as pessoas alcancem seus objetivos de carreira e flexibilizem a forma como participam das aulas de sua pós-graduação e MBA”, destaca Alex Augusto, CEO da UOL EdTech.

A FIA já havia lançado sua frente on-line em fevereiro deste ano, também com tecnologia da UOL Edtech, mas até então sem aplicativo. Ao todo, são 12 cursos de pós-graduação e MBA. 

A UOL EdTech oferece o um software próprio de gestão de aprendizado (LMS, na sigla em inglês), além de um serviço conhecido no mercado como Online Program Management (OPM).

No jargão do mercado, OPN significa uma espécie de terceirização da presença digital de uma instituição de ensino tradicional, incluindo a concepção de sua presença digital e design dos conteúdos, passando pela captação dos alunos nos meios digitais, cobrança, atendimento e suporte aos alunos.

Com unidades em São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre, a UOL EdTech é oriunda da Ciatech e da Webaula, dois players do mercado de LMS fundados nos anos 90.

A empresa atende alguns clientes de peso como a PUC-RS e a Escola de Educação Permanente do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

A maior presença é no mercado empresarial, no qual a UOL EdTech atende 350 empresas. A UniBB, Universidade do Banco do Brasil, por exemplo, faz parte do portfólio.