Adne Righi, fundadora do 360 Coworking. Foto: Divulgação.

O 360 Coworking tem os estudantes e pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) como foco para preencher seus espaços de trabalho.

O espaço está localizado a 100 metros da portaria principal da USP e tem como estratégia oferecer uma infraestrutura diferente da encontrada na universidade.

Entre os destaques do coworking estão salas Fablab, para desenvolvimento de protótipos, e VRLab, que oferece realidade virtual para elaborar produtos e oferecer experiências imersivas. 

“As pessoas têm diferentes formas de aprender: a visual, a auditiva e a escrita – que também pode ser em forma de desenho. A tecnologia que disponibilizamos reúne todos esses elementos”, diz Adne Righi, fundadora do 360 Coworking.

Com 800 m², a estrutura conta com salas individuais e estações compartilhadas para atender os diferentes tipos de perfis dos usuários. 

A fundadora do 360 Coworking acredita que o momento é propício para quem quer empreender, e o espaço compartilhado favorece o networking. 

“Com empresas fechando, as pessoas precisam encontrar formas de gerar dinheiro. Para quem tem boas ideias que dependem de investidores para sair do papel, é uma oportunidade. O 360 Coworking ajuda os empreendedores a reduzir custos com escritórios, além de conectar profissionais e empresas” diz.

Adne tem formação em biologia e seu pós-doutorado é baseado no entendimento do carrapato causador da febre maculosa. Ela também fez parte do seu doutorado na Universidade Estadual da Carolina do Norte, nos EUA.

O coworking foi criado após perceber a necessidade de infraestrutura e networking para quem trabalha com a área de pesquisa aplicada e desenvolvimento de produtos 

Antes do 360 Coworking, Adne fundou a startup 360VIRTU, com foco no desenvolvimento de produtos para treinamento e ensino utilizando novas tecnologias, como a realidade virtual.