A rede varejista vem apostando na compra de empresas de e-commerce. Foto: Leandro Fonseca/divulgação.

A Magazine Luiza arrematou o Estante Virtual, marketplace de livros usados, por R$ 31 milhões em leilão realizado na 2ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais.

De acordo com o site TI Inside, a varejista foi a única a fazer um lance pelo ativo, administrado desde 2017 pela Livraria Cultura.

Naquela ocasião, o valor da Estante Virtual foi estimado em R$ 44 milhões.

A venda é reflexo do processo de recuperação judicial solicitado pela Cultura em 2018. A empresa busca evitar a falência em decorrência dos quase mais de R$ 285 milhões em dívidas acumuladas.

Outra gigante do segmento, a Saraiva, também aprovou um plano de recuperação judicial para uma dívida de R$ 684 milhões em agosto de 2019.

Já a rede varejista Magazine Luiza vem apostando em empresas de e-commerce, com crescimento acelerado dos negócios on-line.

Em 2013, a companhia comprou a Época Cosméticos por R$ 25,6 milhões. Em 2017, adquiriu a startup Integra, de Itajubá, Minas Gerais, especializada na integração e gestão do relacionamento entre lojistas e marketplaces.

No ano passado, fechou acordo para aquisição de 100% das ações da Netshoes do Brasil, que operava na bolsa dos Estados Unidos, por US$ 62 milhões.

A empresa apresentou alta de 36,2% no faturamento em 2018, último período divulgado, chegando a R$ 19,7 bilhões.

No período, o e-commerce cresceu 60,1%. Vendas digitais já eram um terço do total no começo de 2018.

Fundada em 2005, a Estante Virtual já vendeu 20 milhões de livros e conta com mais de dois mil livreiros operando, prometendo uma economia média de 52% em relação às livrarias convencionais.