O Hospital Israelita Albert Einstein acaba de se tornar o primeiro da América do Sul a contar com uma solução de RFID para localização de equipamentos médicos e monitoramento e gerenciamento da temperatura de geladeiras, o que desonera os profissionais da área e amplia a capacidade de controle sobre a utilização dos recursos

A solução utilizada é da NEC Brasil, provedora de ferramentas convergentes de redes de comunicação e TI. O sistema é aplicado especificamente às necessidades do setor de saúde, com capacidade de rastreabilidade e visibilidade voltadas às exigências e regulamentações do segmento.

Na primeira fase da implementação, foram instaladas ferramentas de controle de temperatura das geladeiras e de localização de um conjunto piloto de aproximadamente 500 equipamentos médicos, que funcionam por meio da rede sem fio do próprio hospital – infraestrutura também implantada pela NEC anteriormente.

Conforme explica Sérgio Arai, diretor-executivo de TI do Albert Einstein, o hospital possui um grande número de geladeiras, com temperaturas distintas para cada material, como bancos de sangue, de tecido, de leite, medicamentos, etc.

“Além disso, as diferentes certificações que o hospital possui exigem um rigoroso controle da temperatura desses depósitos, garantindo que a armazenagem esteja de acordo com as regras previstas em lei”, comenta ele. “Por isso a verificação, realizada diversas vezes  ao dia, despende muito tempo de trabalho dos colaboradores, que ainda hoje, costumam acompanhar esses relatórios manualmente no Brasil”, completa.

Com a solução da NEC, esse processo se torna automático.

No projeto, foram  instalados tags (etiquetas com dispositivos eletrônicos para medição e transmissão de informações digitais) nas geladeiras, que medem constantemente as temperaturas, tudo ligado a um software que faz o gerenciamento.

“Caso haja alguma anomalia, o sistema envia alertas instantâneos aos responsáveis”, afirma Arai.

Já a solução de localização de equipamentos permite maior organização do fluxo de materiais, como bombas infusoras e monitores multiparamétricos.

Em cada um dos itens também foi colocada um tag, que indica a localização e as condições dos instrumentos, fazendo um mapeamento da movimentação dos equipamentos via rede sem fio, o que diminui o tempo de procura dos itens e evita perdas.

Além disso, o sistema gera alertas sobre a situação de cada material e avisa aos gestores quando os objetos estão indisponíveis, se estão na etapa de higienização ou de manutenção.

Na segunda fase do projeto, que será iniciada ainda em 2010, o sistema de rastreamento será expandido para outros ativos da instituição e para melhor gerenciamento do fluxo processual de atendimento ao paciente.