Mariana Vasconcelos, CEO da Agrosmart. Foto: Divulgação.

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) acaba de anunciar o SitIoT, um ambiente baseado em um modelo de inovação aberta.

O objetivo é que empresas e startups que tiverem interesse possam testar tecnologias como sejam sensores, equipamentos, softwares, dados e modelos. A Agrosmart é a primeira startup a participar da iniciativa. 

“A Embrapa Informática Agropecuária tem sido muito procurada pelas empresas de tecnologia e pelas startups pelo know-how no tema e percebemos que esse novo ecossistema de agricultura digital precisa ser melhor articulado, pois está muito fragmentado. Então nós vimos a oportunidade de criar o SitIoT, um ambiente colaborativo onde a Embrapa pode ser um agente facilitador e um fomentador deste ecossistema”, explica a chefe-geral da unidade, Silvia Massruhá.

Os dados e informações gerados no ambiente poderão ser compartilhados entre os parceiros e utilizados na pesquisa agropecuária.

Com a parceria, na fase inicial, a Agrosmart vai instalar sensores na cultura do cafeeiro, no campo experimental da Embrapa Meio Ambiente, localizada em Jaguariúna (SP). 

Nesse campo experimental, está instalado o experimento FACE (Free Air CO2 Enrichment), que avalia em condições de campo o efeito das mudanças nos níveis atmosféricos de CO2 sobre a cultura do café. 

O FACE-Café é o primeiro experimento do tipo na América Latina e o único no mundo com a cultura do café. Desde sua instalação, em agosto de 2011, o experimento tem sua instrumentação baseada em rede de sensores sem fio, que é uma das peças fundamentais da IoT.

“A ideia é desenvolver e colocar no mercado a tecnologia, que beneficiará o setor com modelos de predição e controle de doenças agrícolas, ajudando o dia a dia do produtor, resultando em benefícios como economia no uso dos insumos agrícolas e redução de perdas”, conta Mariana Vasconcelos, CEO da Agrosmart.

Nessa primeira fase da parceria, a doença-alvo será a ferrugem do cafeeiro, causada pelo fungo Hemileia vastatrix, uma das principais doenças da cultura no Brasil.

A Agrosmart, empresa de cultivo inteligente que monitora fazendas em tempo real, recebeu em 2016 um aporte do Fundo de Inovação Paulista, realizado pela Desenvolve SP.