Agora é 100% da Koch. Foto: Divulgação.

A Koch Industries, conglomerado industrial que está entre os maiores dos Estados Unidos, fechou a compra do controle total da Infor, fornecedora de software para gestão empresarial.

O comprador, que também é usuário dos sistemas da Infor, já tinha 70% da empresa e agora fechou a compra dos 30% que estavam nas mãos da Golden Gate, um fundo de investimento.

Não foram abertos valores. Fontes ouvidas pela Bloomberg falaram em US$ 11 bilhões. Com vendas de US$ 3 bilhões em 2018, a Infor é a terceira no mercado de software de gestão global, atrás de SAP e Oracle.

A Koch já tinha colocado em US$ 1,5 bilhão na Infor no ano passado, no que analistas avaliaram na época que era um passo rumo a uma abertura de capital. 

Foi o segundo aporte da Koch na Infor: o primeiro aporte de US$ 2,5 bilhões foi feito em 2016.

Em nota, a Koch afirmou que a diretoria da Infor permanece e que a empresa será uma subsidiária independente da gigante, cujo faturamento é de US$ 110 bilhões anuais.

A Koch é conhecida por empresas tradicionais de petróleo, petroquímica, energia, minério e celulose. Se fosse uma empresa aberta, a Koch estaria na 17ª posição no Fortune 500.

Nos últimos tempos, esse gigante vem colocando um olho no mundo de tecnologia, seguindo o exemplo de outras companhias, como a GE.

Em 2013, a companhia comprou a fabricante de componentes eletrônicos Molex por US$ 7,2 bilhões.

Um braço de venture capital foi criado em 2017, comandando por um dos filhos dos fundadores da Koch. Ela fez investimentos em uma empresas de software de gestão e impressão 3D.

Analistas ouvidos pelo TechCrunch mostraram incerteza sobre o potencial do negócio.

"Quando você achava que tinha visto tudo, uma empresa normal compra um revendedor de ERP top five", disse Holger Mueller, analista do Constellation Research.

Para Mueller, o negócio pode dar certo se a Infor tiver independência para seguir desenvolvendo seus produtos, usando a Koch como um local de validação, mas também pode dar errado se a empresa virar simplesmente um braço de TI.

O que isso tudo significa para o mercado brasileiro? Pouca coisa, pelo menos no momento.

A Koch não tem presença no Brasil.

Já a Infor, depois de dois anos de troca troca no comando da operação brasileira, decidiu unificar o país com o México, sob o comando de um executivo mexicano.