PAGAMENTOS

Cosan tem fintech com Ernesto Correa

09/01/2019 06:54

Sócios combinam experiência em tecnologia e uma grande massa potencial de clientes.

A onda do momento é ter a conta bancária no celular.

Tamanho da fonte: -A+A

O Grupo Cosan, um grande grupo empresarial com negócios nas áreas de energia, logística, infraestrutura e gestão de propriedades agrícola, acaba de lançar uma fintech em parceria com do grupo Manzat, do empresário gaúcho Ernesto Corrêa.

Segundo revela o Brazil Journal, o Payly será uma carteira virtual que permite pagamentos por meio de QR Code e transferências via celular.

Até aí, nada demais. Existem meia dúzia de outras fintechs no país com esse modelo de negócio no momento. O interessante é o tipo de sinergias entre as empresas da Cosan e da Manzat, e como elas podem cacifar o negócio.

Corrêa, que tem 25% da Payly, bancou a fundação e o crescimento da GetNet, uma das primeiras empresas a desafiar o duopólio da Visa e Mastercard em adquirência de cartões, vendida por R$ 1 bilhão para o Santander.

Hoje, ele é dono do Banco Topázio, a financeira que fará a retaguarda bancária do negócio da Payly, e da Saque e Pague, uma rede de caixas eletrônicos independentes com 1,5 mil ATMs espalhados pelo país.

A Cosan, por sua parte, tem os clientes e fornecedores que podem render a massa crítica inicial do negócio. 

Ao todo, mais de 20 milhões de clientes são atendidos diariamente pelas empresas do conglomerado: os postos Shell (nos quais a Cosan é sócia por meio da Raízen), a Comgás, a Rumo e a Moove, de lubrificantes.

Os postos Shell no interior de São Paulo já começaram a aceitar a Payly e o pagamento via app deve ser estendido para todo o território nacional ainda no primeiro semestre. 

A Payly opera como piloto desde setembro em praças como Piracicaba e Porto Alegre, e o lançamento oficial, com campanha de marketing, ocorrerá já neste mês. A expectativa da Payly é ter 1 milhão de clientes ativos já no primeiro ano de operação.

As condições reveladas pelo Brazil Journal são agressivas: a empresa vai cobrar do lojista uma taxa de apenas 0,1% da transação, contra percentuais que variam de 2,5% a 4,5% para o cartão de crédito e 0,8% a 1,2% no débito. O pagamento cai na hora. 

Nos primeiros contratos que firmou como piloto, a Payly já se comprometeu a não aumentar a taxa para mais de 0,6% mesmo quando (e se) a operação ganhar corpo.

O CEO da Payly será Juliano Prado, um ex-engenheiro da Shell que trabalha há oito anos na Cosan, onde já foi o chief operating officer (COO) da Raízen.

O CTO da Payly é Fabian Gaban, ex-Visa, onde era o diretor responsável pelas soluções digitais – como o Visa Checkout, uma solução de pagamentos móveis – e o COO é Fernando Matias, que foi general manager da Easy Taxi e da Cabify no Brasil.

Veja também

OPORTUNIDADE
Finep investirá até R$ 30 milhões em startups

A financiadora vai investir até R$ 1 milhão em cada uma das empresas selecionadas.

FINTECH
Creditoo oferece empréstimo com chatbot no Whastapp

Funcionários de mais de 80 empresas parceiras podem realizar a contratação pelo app.

SEGURANÇA
Banco Inter terá que pagar R$ 1,5 milhão após vazamento

O valor será destinado a instituições públicas que combatem crimes cibernéticos e a instituições de caridade.

SEGURANÇA
Vazamento de dados no Sicredi?

Hackers ou funcionários descontentes? Dados de clientes de Arroio do Meio estão na Internet.

EQUIPE
Koin tem nova líder de operações

Mirelle Hampel estava na startup QuintoAndar.

INVESTIMENTO
Creditoo recebe aporte de US$ 1,2 milhão

 O aporte foi liderado pelo Global Founders Capital e acompanhado pela Canary.

FINTECH
C6bank tem empresa de pagamentos

Nova PayGo será liderada por Vinícius Pessin, ex-diretor executivo para marketplace da B2W Digital.

DINHEIRO
Bradesco: transferência com blockchain

No modelo atual, uma transferência internacional pode levar até 2 dias para ser concluída.

CIÊNCIA DE DADOS
Itaú Unibanco apoia laboratório da USP

Construído a partir de investimentos do banco, o novo centro foi inaugurado na quarta-feira, 7/11.

FINTECH
Neon lança conta digital para empresas

A Neon Pejota é direcionada a Microempreendedores Individuais (MEI) e Pequenas Empresas.