Mutant é focada no mercado de atendimento a clientes. Foto: Pexels.

A Mutant, focada em soluções de atendimento ao cliente, comprou a Cinq, especializada em desenvolvimento de software.

Não foi aberto o valor da aquisição, a sexta feita pela Mutant desde a fundação, em 2016.

A Cinq é sediada em Curitiba e tem 280 funcionários espalhados por operações em São Paulo, Miami e um centro de desenvolvimento em, Ponta Grossa, no interior do Paraná.

A empresa faturou R$ 37 milhões em 2019. Em nota, a Mutant frisa que ela cresceu mais de 80% nos últimos quatros anos (claro que o período de tempo pode esconder alguns anos menos reluzentes no meio).

Já a Mutant tem 3 mil funcionários e teve um faturamento de R$ 600 milhões em 2019, o dobro do obtido dois anos antes, em 2017.

A Cinq passará atuar em conjunto com a Dextra, uma outra companhia de desenvolvimento de software adquirida pela Mutant e sediada em Campinas. Elas formarão a divisão de “transformação digital” da Mutant.

"A Cinq chega para ajudar a transformar a Mutant na maior e melhor empresa de customer experience do Brasil. Além de entregas diferenciadas, amplia nossa presença no mercado internacional e compartilha nosso espírito jovem e apaixonado de trabalhar", afirma Alexandre Bichir, CEO da Mutant.

De acordo com Bichir, a Mutant já gastou a metade dos US$ 180 milhões que tem em caixa para aquisições.

A Mutant está capitalizada, tendo recebido um aporte financeiro de US$ 85 milhões do fundo de pensão Canada Pension Plan Investiment Board (CPPIB) e pelo Adams Street Partners em outubro de 2018.

A empresa foi criada a partir da divisão da operação brasileira da americana Genesys, a Genesys Prime, em um negócio com capital de fundos de investimento.

A Genesys Prime surgiu no fim de 2012 com a aquisição da LM Sistemas, na qual Bichir era CEO, pela Genesys. 

A empresa vendia software para call centers da Genesys, mas também de outros fornecedores.

A Mutant atende mais de 200 clientes, entre eles Itaú, Claro, Telefônica, Serasa, Smiles e Raízen.