Dennis Herszkowicz, presidente da Totvs.

Tamanho da fonte: -A+A

A Totvs fechou o terceiro trimestre com uma receita líquida de R$ 855 milhões, um crescimento de 26%, frente ao mesmo período do ano anterior, o que é um dos melhores resultados trimestrais da empresa em alguns anos.

Nos últimos três trimestres a Totvs trouxe trepidantes resultados de 21,7%, 20% e 19% (o leitor pode tentar ler isso em voz alta).

Com uma receita líquida de R$ 2,59 bilhões em 2020, uma alta de 13,8%, a Totvs teve no ano passado o seu melhor resultado em mais de uma década, ficando atrás só dos 15,6% obtidos em 2009. 

O EBITDA ajustado foi de R$192 milhões, crescimento de 19% na comparação com o terceiro trimestre de 2020, margem EBITDA ajustada de 22,5%.

Em nota, a Totvs atribuiu os bons resultados ao sucesso da estratégia de dividir a oferta em três dimensões: Gestão, onde ficam os softwares e a maior parte da receita; Business Performance, com os softwares de automação de marketing e Techfin, que é o que o resto do mercado chamaria de fintech.

"Ao oferecer este portfólio completo e único estamos mudando a regra do jogo competitivo, principalmente entre as pequenas e médias empresas, que geralmente buscam um parceiro forte, que possa solucionar a maior parte de seus problemas e permita focar cada vez mais no seu core business”, afirma Dennis Herszkowicz, presidente da Totvs.

Especificamente na área de software de gestão, a Totvs teve um aumento de receita recorrente de 20%, um recorde desde 2012.

Esse é um indicador importante porque sinaliza que a empresa ainda tem espaço para crescer com software como serviço.

Na nota de divulgação de resultados, Herszkowicz lembra da captação recente de R$ 1,44 bilhão, e promete aquisições. 

“O follow-on, realizado no momento certo, veio ampliar a nossa capacidade de execução de novos M&As, nos colocando numa posição de vantagem para capturar oportunidades”, afirma Herszkowicz, o que resumido quer dizer: vem alguma compra grande por aí.