Equipamentos da CommScope utilizados na Nestlé. Foto: divulgação.

A Nestlé está investindo na implementação de tecnologias de ponta na área de infraestrutura em sua nova sede, em São Paulo, um investimento de R$ 50 milhões na zona Sul da cidade.

Entre as inovações na área, está o projeto do novo data center, que teve análise e implementação da Comtec, especializada em elaboração e implantação de infraestrutura de TI.

Segundo a empresa, com a mudança do ambiente do edifício antigo, também na capital paulista, o planejamento precisou ser bastante detalhado.

Cada ação foi dividida em várias etapas, levando em conta a análise de risco, diagnóstico do ambiente, carga elétrica e elaboração de documentação técnica.

Para a infraestrutura do data center, a empresa optou pela tecnologia da Schneider Electric, empresa focada em soluções para gestão da energia elétrica e automação.

O projeto utilizou a EcoStruxure IT, plataforma e arquitetura de sistema aberta, interoperável e habilitada para IoT, projetada para o ambiente de TI híbrido. 

O projeto envolveu o cabeamento, sistemas de elétrica e UPS, ar condicionado de precisão e detecção e combate a incêndio inteligentes no data center.

Segundo a empresa, o data center, que ocupa uma área de 80 metros quadrados, foi previsto em um espaço menor do que o especificado inicialmente, garantindo a otimização do uso da sala.

A solução, no entanto, é modular, podendo o ambiente ser expandido conforme a demanda.

A estrutura conta com o StruxureWare Data Center Expert, ferramenta para monitorar de forma centralizada a infraestrutura física da empresa toda, considerando energia, refrigeração, segurança e aspectos ambientais.

Há também a NetBotz, solução para controle de acesso e monitoramento que supervisiona o ambiente de TI de missão crítica em tempo real, além do rack PDU gerenciáveis e de racks NetShelter SX AR3100.

Além disso, para atender às necessidades de redundância, gerenciamento e escalabilidade dentro de uma área compacta, foi inserido o nobreak Modular Symmetra PX 128 kVA.

Trata-se de um sistema de proteção de energia trifásico que permite expansão de potência e autonomia de maneira rápida. 

Segundo a empresa, ele possui capacidade de autodiagnóstico e módulos padronizados que reduzem a chance de erro humano, diminuem o tempo médio de reparo e, por consequência, aumentam a confiabilidade geral do data center.

"Com nossas soluções integradas, pudemos oferecer ao cliente eficiência energética, energia ininterrupta, redundância, confiabilidade e controle ambiental, e visibilidade da utilização de energia", afirma Alan Satudi, gerente de marketing de produtos da Schneider Electric Brasil.

A infraestrutura da nova sede também contou com o sistema de gestão automatizada imVision, da CommScope, empresa especializada em infraestrutura de telecomunicações. 

Com interface em português, a solução fornece visibilidade e monitoramento em tempo real de todas as conexões de rede.

Os mais de 3,6 mil pontos são detectados por meio de sensores em infravermelho, presentes nos patch panels e DIOs, distribuidores internos ópticos. 

A Nestlé adquiriu um modelo de licença ilimitada do software de gestão da empresa, podendo ter o recurso estendido para outras unidades da companhia, de acordo com a sua necessidade. 

Segundo a empresa, o imVision é um sistema aberto que pode ser utilizado com patch cords não proprietários, padrão de mercado. 

“Ele ajuda a localizar os pontos de falha da rede de forma rápida e precisa, minimizando o downtime. É possível ainda localizar geograficamente os dispositivos IP em tempo real e melhorar o gerenciamento dos ativos”, Ricardo Wassermann, gerente de canais de integração da CommScope.

A empresa também afirma que o sistema fortalece a segurança da rede desde a camada física, além de otimizar os trabalhos de gerenciamento da rede por meio da geração de ordens de serviço eletrônicas.

No novo ambiente, a CommScope forneceu o sistema de cabeamento estruturado, base das aplicações de TI e um fator decisivo para garantir disponibilidade e alta performance, de acordo com a empresa.

A rede combina sistema de cabeamento estruturado Cat.6A, com 730 pontos, e fibra óptica multimodo OM4 de 12 vias para atender os racks dos servidores.

Segundo a CommScope, as fibras OM4 têm menor atenuação e a tecnologia é preparada para suportar aplicações de 10 e 100 GbE em distâncias de até 550 e 150 metros, respectivamente.

As soluções de conectividade da CommScope também foram instaladas no projeto, que contou com uma infraestrutura de rede padronizada e de acordo com as normas internacionais da Nestlé. 

Foram instalados 3.677 pontos de rede Cat.6 para atender às estações de trabalho, além de 204 pontos Cat.6A dedicados aos pontos de acesso Wi-Fi.

O trabalho levou quatro meses e contou com a participação de 80 profissionais. 

Para fechar, um toque tecnológico também pode ser visto na recepção, no qual estará instalado o Tinbot, robô brasileiro colaborativo que reúne Inteligência Artificial, Cognição e IoT, desenvolvido pelo DB1 group.

O robô será utilizado como um colaborador não humano, repassando de informações sobre produtos.

Segundo a Nestlé, a estratégia de transformação digital é para toda sua operação, com foco em eficiência, produtividade e implementação de soluções inovadoras de produção. 

"A Nestlé está acelerando o plano de expansão, sempre com foco em soluções que entregam resultado operacional e financeiro para a empresa", sustenta Fernando Molina, gerente de TI da Nestlé Brasil.

Localizada num moderno edifício na Avenida das Nações Unidas, na Zona Sul de São Paulo, a nova sede da Nestlé tem uma área construída de 210 mil metros quadrados que abriga 2,5 mil funcionários.

A Nestlé é a maior empresa de alimentos e bebidas do mundo, com mais de São mais de 2 mil marcas. 

Presente em 194 países, a companhia conta com 328 mil colaboradores e sua sede fica na cidade suíça de Vevey, onde foi fundada há mais de 150 anos.