PANDEMIA

Estados Unidos precisam de programadores Cobol

14/04/2020 09:33

Sistemas estão sobrecarregados. Falta gente que seja capaz de consertar o problema.

E agora, como arrumar isso?

Tamanho da fonte: -A+A

Pelo menos três estados americanos, somando uma população de 15  milhões de pessoas, estão enfrentando um problema inesperado gerado pela pandemia do coronavírus: falta de programadores Cobol.

Autoridades dos estados de Nova Jersey, Connecticut e Kansas já vieram a público para dizer que os sistemas de pagamento de seguro desemprego, escritos em Cobol e rodando em mainframes há 40 anos, estão sobrecarregados e falta gente que consiga arrumar o problema.

O assunto parece mais sério em Nova Jersey, que, com 8 milhões de habitantes, é o maior dos três estados. O governador chegou a divulgar um pedido por voluntários que conheçam Cobol.

Nas últimas duas semanas, 362 mil moradores de Nova Jersey pediram seguro desemprego.

O Cobol foi criado no final dos anos 50 e usado para desenvolver uma série de sistemas nos anos 60, 70 e até 80.

Todo mundo que já tem algum tempo na área de TI ouviu profecias sobre o fim do Cobol, e no entanto ele segue aí firme e forte, principalmente em grandes sistemas de governo e na área financeira.

Um levantamento de 2017 feito pela Reuters mostrou que 43% dos sistemas bancários nos Estados Unidos são feitos em Cobol e nada menos que 95% dos caixas automáticos.

Os técnicos, por outro lado, estão sumindo. De acordo com a CNN, nos Estados Unidos a linguagem saiu do programa das universidades nos anos 80.

A IBM, que provavelmente vendeu alguns dos mainframes atualmente sobrecarregados de pedidos, decidiu intervir e está oferecendo um curso  online e um fórum de discussão sobre Cobol. 

Veja também

INFRA
Caixa compra mainframe IBM Z14

Os mainframes IBM Z14 foram instalados nos dois datacenters da Caixa em Brasília.

LINGUAGENS
Valim abandona Cobol com Genexus

Companhia com 400 clientes decidiu modificar o desenvolvimento de seu sistema de gestão.

CARREIRA
Preconceito de idade: as empresas não tem, mas você e eu sim!

Demografia muda, mas empresas seguem discriminando profissionais mais experientes. Até quando?

BANCOS
Stefanini treina HSBC Argentina em Cobol

Banco argentino formou 10 profissionais na velha linguagem de programação.

OPEN SOURCE
Micro Focus vende Suse por US$ 2,53 bi

Com a venda para o fundo de investimento EQT, a Suse volta a ser uma empresa independente.

NOVA ERA
Troca no comando da IBM

Sai Ginni Rometty, entram líder de cloud Arvind Krishna e Jim Whitehurst, da Red Hat.

FEITO
Broadcom leva Symantec por US$ 10,7 bi

No final o negócio saiu por US$ 5 bilhões a menos do que a Symantec queria.

INSIGHTS
Banrisul: análise preditiva com IBM

A ferramenta é o primeiro passo para uma futura adoção da plataforma de inteligência artificial Watson.

OPEN SOURCE
SUSE de volta em voo solo

Companhia apresenta seu novo posicionamento como player independente.

NUVEM
IBM compra Red Hat por US$ 34 bilhões

A aquisição é a segunda maior da história da TI corporativa, atrás da fusão entre Dell e EMC.

 

EXCLUSIVO
CA fez grande corte no Brasil

Companhia passou por uma enxugada que pode chegar a 70% da equipe no país.