Tiago Brandes.

A Mercos, uma startup de Joinville especializada em software de vendas para indústrias e distribuidoras, cortou 40% da sua equipe nesta quarta-feira, 13, demitindo 51 profissionais.

A medida foi anunciada pelo CEO da empresa, Tiago Brandes, em um post no Linkedin.

https://www.linkedin.com/pulse/decis%25C3%25A3o-mais-dif%25C3%25ADcil-dos-%25C3%25BAltimos-10-anos-tiago-brandes/?trackingId=utS9E2XZRyiQOET9GbZXyg%3D%3D

Segundo Brandes, mais da metade dos 6 mil clientes da Mercos tiveram quedas de 70% no faturamento.

O CEO ilustra a gravidade da situação de um cliente do segmento de artigos para festas que viu o faturamento cair de R$ 700 mil para R$ 8 mil. Esse cliente pagava mensalmente R$ 4 mil mensais para a Mercos.

De acordo com o empresário, a empresa sempre investiu no "limite máximo, gerenciando nosso orçamento em regime de caixa".

"O problema dessa abordagem é que ela não deixa margem para erros. Quando a crise chegou, nos vimos em uma situação de caixa muito desfavorável. Sempre tratamos o corte de pessoas como a última medida, mas infelizmente este momento chegou", afirma Brandes.

A companhia vinha bem, tendo atingido um faturamento de R$ 18 milhões no ano passado, o que representa uma alta de 40% frente a 2018. A projeção para 2020 era manter os 40%, chegando a R$ 25,2 milhões. Foram contratadas 30 pessoas em 2019.

A crise está impactando startups em todo o país e não é diferente em Joinville, a maior cidade de Santa Catarina e lar de um ecossistema robusto de tecnologia, com empresas de destaque em nível nacional.

Outra empresa local que fez um grande corte de equipe recentemente foi a ContaAzul, uma das startups mais badaladas do país, onde foram demitidos cerca de 140 pessoas, um terço do time total.