ANÁLISE

IDC aponta a UiPath como líder em RPA

16/11/2021 11:05

Pontos fortes: tecnologia e tamanho da base. Pontos fracos: preço.

IDC apontou os líderes no mercado de RPA. Foto: Pexels.

Tamanho da fonte: -A+A

O IDC apontou a UiPath como líder no mercado de automação robótica de processos (RPA, na sigla em inglês) no seu primeiro relatório focado no nicho, no qual foram listadas 12 empresas.

O IDC MarketScape aponta a UiPath como líder num gráfico composto por dois eixos, um deles medindo as capacidades atuais e o alinhamento do produto hoje com as necessidades dos clientes e outro avaliando os planos para o médio prazo, entre três e cinco anos.

A UiPath é seguida de perto no topo pela AutomationAnywhere, outro grande player especialista em RPA com um tamanho similar ao seu, e um pouco mais de longe por Kyron, EdgeVerve e BluePrism, empresas de porte menor.

Os outros players elencados aparecem no segundo nível e incluem, por ordem, Kofax, SAP, Appian, IBM, Microsoft, Pegasystems e Nintex.

A Microsoft fica um pouco fora da curva, pontuando muito por sua estratégia de médio prazo, mas menos pelo tamanho atual do negócio de RPA.

IDC

A UiPath divulgou uma versão reduzida do relatório, apenas com a avaliação da IDC a respeito dela mesma, o que é o procedimento padrão nesses casos.

A IDC apontou como pontos fortes da UiPath as funcionalidades do seu RPA, a capacidade de inovação e o momento da empresa no mercado.

O ponto fraco ficou com a estratégia de preço. Na avaliação da IDC, a UiPath cobra valores “premium”, até o ponto em que os clientes chegam ao ponto de fechar um contrato enterprise e tem acesso a descontos.

“Considere usar UiPath quando RPA é parte estratégica de um projeto de automação empresarial e quando você planeja consolidar o RPA sob uma oferta standart”, recomenda a IDC.

O Gartner já vem fazendo levantamentos (o famoso Quadrante Mágico) sobre o mercado de RPA nos últimos três anos, sempre apontando a UiPath como líder.

Fundada em 2005 na Romênia, a UiPath entrou no então nascente mercado de RPA em 2012 e mudou sua sede para Nova Iorque.

Hoje a empresa tem 9,1 mil clientes e teve uma receita de US$ 195,5 milhões do último trimestre, uma alta de 40% frente ao mesmo período do ano anterior.

No Brasil, a companhia tem um escritório em São Paulo desde 2018. Nos últimos tempos, a empresa fechou projetos em clientes como Copersucar, Caixa Seguradora e Triad Systems.

Das outras mencionadas entre os líderes do relatório, também tem atuação no Brasil a AutomationAnywhere, também desde 2018, e a BluePrism, que tem uma operação brasileira baseada em Miami (a empresa foi recentemente comprada pela TIBCO, que tem presença no Brasil). 

Veja também

ROBÔS
Gartner: mercado de RPA está quente

Crescimento de 11,9% em 2020 e novo salto de 19,5% em 2021, prevê consultoria.

ROBÔS
UISA faz RPA com AutomationEdge

Produtora de etanol e açúcar entrega mais um projeto de tecnologia.

ROBÔS
Blue Prism vai para TIBCO

Fundo compra player de RPA e fará fusão com empresa de software de BI.

PROCESSOS
Dufry usa RPA da AutomationEdge

Projeto é da Quality Nextech, que já fazia a terceirização do ambiente de TI.

AUTOMATIZAÇÃO
Lojacorr faz RPA com IBM

Robôs começaram a ser usados na área de TI da rede de corretoras de seguros.

TENDÊNCIA
Covid-19 intensifica a utilização do RPA

É preciso ter em conta que robotização de processos não funciona em qualquer empresa e exige segurança.