NOVO NORMAL

Stefanini cria mini home office

19/08/2020 04:07

Stefanini@Home é um pouco maior do que um assento na classe econômica.

Escritório tem 1,6 metro de profundidade, 1 metro de largura e 2,2 metros de altura.

Tamanho da fonte: -A+A

A Stefanini acaba de criar uma espécie de “mini escritório” para funcionários trabalhando em home office.

O Stefanini@Home é uma cabine, com 1,6 metro de profundidade, 1 metro de largura e 2,2 metros de altura.

A título de comparação, o espaço é mais ou menos o dobro de um assento de classe econômica típico em um avião (com a vantagem de que ninguém pode reclinar o assento da frente).

A novidade já está sendo testada com 50 profissionais e a ideia da Stefanini é usar ela para serviços de atendimento ao cliente, suporte técnico, backoffice, vendas e cobrança, todas atividades típicas em contratos de terceirização de processos de negócios (BPO, na sigla em inglês).

De acordo com a Stefanini, os benefícios são “privacidade instantânea, eliminação de ruídos, além de um ambiente de trabalho funcional e ergonômico”.

A empresa não chega a dizer isso, mas em termos de espaço, a novidade não difere muito da área disponível para um funcionário  em um contact center, com a diferença que uma posição de atendimento costuma ser aberta.

A novidade está sendo desenvolvida em parceria com a Minimal Design, uma marca de móveis para escritórios especializada em projetos minimalistas, dentro do conceito "menos é mais" e a NOAK, um escritório de arquitetura com uma pegada semelhante (de fato, a NOAK é tão minimalista que não diz quase nada sobre si mesma em seu site).

O Stefanini@Home não é apenas a cabine, incluindo também uma camada de software que usa biometria facial para login, controle da conexão e de login e logout.

"Uma verdadeira plataforma de aprendizagem inteligente, que permite melhorar o desempenho dos funcionários a partir da capacitação on-line e da fluidez na comunicação”, afirma Marco Stefanini, CEO Global do Grupo Stefanini.

VIRADA AMBICIOSA PARA HOME OFFICE

A Stefanini está preparando o que até agora é a virada mais ambiciosa de uma grande empresa de tecnologia para o home office de maneira permanente após a pandemia do coronavírus.

O projeto, batizado de Stefanini Everywhere, tem por meta que metade do time trabalhe em home office num prazo de 12 a 18 meses, sendo 60% dessa equipe de maneira permanente e outros 40% de maneira parcial.

É uma mudança enorme para uma empresa que tem 25 mil funcionários (14 mil no Brasil) e tinha antes da crise uma prática mínima de home office, limitada a 120 profissionais na Europa.

Isso era assim, é claro, até a entrada em cena do coronavírus: hoje, mais de 90% dos 25 mil colaboradores em todas as regiões estão em home office há dois meses.

A migração para o home office se dará tanto por novas contratações de profissionais no “interior do país”, num ritmo de entre de 150 a 200 por mês em 2020, com uma subida ainda maior em 2021, quando aquisições devem elevar a velocidade para 500 por mês. 

Caso a Stefanini consiga contratar na velocidade máxima e feche as aquisições previstas, estamos falando de quase 7 mil novos funcionários em home office.

Veja também

DIGITAL
Stefanini compra W3Haus

Gigante de TI brasileira faz sua maior aposta no nicho de comunicação digital até agora.

VELHO NORMAL?
Home office começa a recuar

Dados do IBGE mostram primeiro recuo desde o início da pandemia: 7,8% voltaram para escritório.

NOVO NORMAL
Home office é igual a mais trabalho?

Na Microsoft, funcionários estão conectados por mais horas, inclusive nos finais de semana.

MEDIDAS
AMcom: volta ao escritório só com vacina

Empresa de Blumenau vai manter home office até surgir uma vacina para a Covid-19.

HOME OFFICE
Supergasbras: call center em casa com Genesys

Solução Pure Cloud 3 foi utilizada para viabilizar o trabalho remoto de 119 atendentes.

NOVO NORMAL
Petrobras deve pagar custos de home office

Justiça Trabalhista diz que estatal precisa reembolsar custos de energia, dados e equipamento.

RITMO
Meta cresce 56%, mesmo com pandemia

Companhia manteve ritmo acelerado de crescimento e ainda contratou 432 profissionais.

HOME OFFICE
Fujitsu fecha metade dos escritórios

Gigante japonesa vai colocar 80 mil funcionários para trabalhar em casa.

AQUISIÇÃO
Stefanini compra Logbank

Fintech fará parte da Orbitall, ampliando a oferta de serviços financeiros para o mercado de PMEs.

NOVO NORMAL
BRQ quer modelo 100% home office

Os cerca de 2,5 mil funcionários da empresa devem seguir trabalhando em casa depois da pandemia.