Diebold quer comprar a Wincor. Foto: divulgação.

A Diebold, fabricante norte-americana de ATMs e equipamentos automatizados, fez uma proposta de US$ 1,9 bilhão para adquirir a alemã Wincor Nixdorf.

Segundo informações do Wall Street Journal, a Diebold e a Wincor ocupam o segundo e terceiro lugares, respectivamente, no segmento, e a união de forças geraria uma potência global para o mercado de ATMs e pagamentos.

O negócio ainda não foi confirmado. De acordo com a Wincor, a transação está sob análise e sujeita a condições de ambas as partes.

Para analistas, uma fusão seria o caminho para as duas companhias expandirem sua atuação além dos ATMs e meios físicos de pagamento, dividindo os custos para desenvolver e crescer em novas áreas, como pagamentos eletrônicos e TI para finanças.

Outro ponto favorável para a Diebold, caso compre a Wincor, é que a empresa alemã pode aumentar a presença dos norte-americanos no mercado europeu.

Atualmente a Diebold passa por um momento de redução de custos, devido a uma estagnação em sua receita nos últimos oito anos. O plano da companhia é reduzir US$ 200 milhões em despesas para 2015 e investir cerca de US$ 100 milhões em desenvolvimento de segurança, software e serviços de TI até 2017.

A Wincor também se encontra em uma posição similar, com sua receita de ATMs em baixa. Por outro lado, a parte de software e serviços de TI está em alta, já respondendo por 59% do faturamento.

No Brasil, a Wincor reduziu custos ao transferir este ano sua produção local de caixas eletrônicos para a gaúcha Perto. Com isso, a empresa anunciou o fechamento de sua fábrica de caixas eletrônicos em Atibaia, no interior de São Paulo, inaugurada há três anos. A Wincor tem uma base instalada de 65 mil caixas eletrônicos no país.

Já a Diebold anunciou um plano de realinhamento de suas operações no Brasil e América Latina, com a fusão dos negócios da empresa no país e região. O objetivo da mudança é o de impulsionar uma maior eficiência e melhorar o atendimento ao cliente.