Divisão de autopeças da Randon está se digitalizando. Foto: M.Scalco.

A divisão de autopeças da Randon, conglomerado gaúcho que reúne fabricantes de implementos rodoviários e veículos, autopeças e serviços financeiros, adotou o software da Sequor para fazer a gestão digital do seu chão de fábrica. 

O objetivo é permitir a integração, em tempo real, de todas as áreas de produção das diferentes unidades da divisão de autopeças da Randon garantindo a coleta precisa de dados e a geração de relatórios e informações críticas. 

A Randon é uma das principais fornecedoras de peças e sistemas automotivos para as montadoras de veículos comerciais do Brasil, através das marcas Castertech, Fras-le, Jost, Master e Suspensys.

“A curto prazo a expectativa é que o sistema proporcione a orquestração do fluxo produtivo e visibilidade em tempo real dos processos, possibilitando o aumento da produtividade, redução/eliminação do papel na fábrica e redução de estoques intermediários”, aponta Mateus De Abreu, gerente de TI da Randon.

Num cenário de médio e longo prazo, a empresa quer elevar o nível da manufatura através da digitalização dos processos, formando a base para a adoção de novas tecnologias voltadas à Indústria 4.0, como Machine Learning, Big Data, Capacidades Prescritivas e Internet das Coisas, adianta Abreu.

“Esta parceria é um passo extremamente importante no plano de expansão da empresa, pois passaremos a implementar nossas soluções voltadas à Industria 4.0, nas unidades da Randon tanto no Brasil quanto no exterior”, afirma diretor comercial da Sequor, Diego Driemeier.

A Randon divulgou um forte crescimento no último trimestre, sinalizando que os anos da crise econômica podem estar ficando para trás: a receita bruta nos primeiros nove meses do ano foi de R$ 4,3 bilhões, aumento de 45,3% em relação ao mesmo período de 2017.

Com o projeto da Randon, a Sequor vai abrir uma unidade em Caxias do Sul, cidade da serra gaúcha onde a Randon está sediada, similar à unidade de Paulínia, que atende o polo automotivo da região de Campinas. 

A empresa tem planos de chegar em outras regiões altamente industrializadas do país, incluindo Joinville, Manaus e Belo Horizonte.

Sediada em Porto Alegre, a Sequor foi comprada no começo do ano pelo grupo francês SNEF e que pretende em 5 anos se tornar um player mundial em soluções para indústria 4.0.

O SNEF, que atua nos setores de energia, desenhos e processos industriais, telecomunicações e tecnologia da informação

A Sequor tem 40 funcionários e faturamento anual de R$ 7,5 milhões. A companhia atende a clientes como Honda Automóveis, Stara, AGCO, Midea-Carrier, DANA, Andreas Stihl, TDK e Magneti Marelli.

Já o grupo SNEF, com sede em Marselha e mais de 10 mil funcionários distribuídos em 120 filiais, alcançou faturamento global superior a € 1 bilhão no ano passado.

No Brasil, a SNEF está presente com 1 mil colaboradores e 250 clientes. A presença da companhia no país foi impulsionada em 2010, com a aquisição da empresa mineira Energ Power.

A compra da Sequor é uma aposta da SNEF para ganhar força no segmento da indústria 4.0. A companhia atua hoje com automação para o chão de fábrica, mas espera contar com a companhia gaúcha para conectar essa área ao ERP das empresas.