CAPITAL

Zenvia levanta R$ 1,1 bilhão na Nasdaq

23/07/2021 05:04

Mesmo com queda das ações no primeiro dia, startup conquista um feito histórico.

Cássio Bobsin, fundador da Zenvia.

Tamanho da fonte: -A+A

A Zenvia, companhia de plataforma de comunicação e serviços móveis, levantou US$ 200 milhões com a sua abertura de capital na bolsa americana Nasdaq, feita nesta quinta-feira, 22.

O valor, na faixa do R$ 1 bilhão pelo câmbio atual, se divide entre US$ 150 milhões captados de compradores individuais e outros US$ 50 milhões vindos de uma injeção de recursos da americana Twilio.

A Twilio atua no mesmo nicho de mercado da Zenvia, com uma tecnologia que permite incluir funções de disparos de SMS em softwares, por exemplo. A empresa teve uma receita de US$ 1,76 bilhão no último ano fiscal e tem ações na Nasdaq.

O primeiro dia da Zenvia na Nasdaq tem um sabor agridoce. Por um lado, a abertura de capital na segunda maior bolsa do mundo, onde são vendidas as ações do Apple, Amazon e Google, é um marco para qualquer startup brasileira.

Fundada em 2000 numa garagem de Porto Alegre por Cássio Bobsin, então um jovem de 20 e poucos anos, a Zenvia tem a trajetória clássica de uma startup de tecnologia, um pouco diferente das outras brasileiras na Nasdaq como as fintechs Stone e PagSeguro e ou a Afya Educacional.

Por outro lado, fazer um IPO é uma decisão que expõe o negócio a um escrutínio implacável dos investidores. A Zenvia colocou os papéis à venda por US$ 13 e eles fecharam o dia em US$ 10,20, uma queda de 21,54%.

O valor de US$ 13 é o mais baixo numa faixa entre US$ 13 e US$ 15 informada durante o processo de abertura, como é de praxe. 

De qualquer forma, o valor levantado e a entrada da Zwillio entre os sócios devem dar um impulso para a Zenvia, que fechou o ano passado com uma receita líquida de R$ 492,5 milhões, em um crescimento de 28% na comparação anual. 

O capital deve servir para ajudar na internacionalização e na diversificação da base de clientes da Zenvia. Hoje a empresa tem muita receita concentrada em alguns grandes clientes brasileiros.

O fato foi destacado pela própria Zenvia em um prospecto divulgado para potenciais investidores: cerca de um terço da sua receita é gerado pelos dez maiores clientes, a maior parte dela vinda do negócio de SMS, no qual a empresa é líder no país, depois de comprar diversas concorrentes.

Veja também

ALVOS
Meta prepara um novo salto

Empresa quer triplicar até 2024, com direito a compras e uma perspectiva de IPO.

MENSAGENS
Zenvia une operações com D1

Contrato foi firmado nesta quinta-feira, 25. União deve ser concluída até o final do segundo trimestre.

GRINGOS
VTEX tem reforços internacionais

Numa tacada só, uma nova COO e três integrantes para o conselho de administração.

BOLSA
PicPay fará IPO na Nasdaq

Há uma semana, a fintech de pagamentos bateu mais de 50 milhões de usuários.

GIGANTE
Nubank é avaliado em US$ 25 bilhões

Após compra da Easynvest, o banco digital levantou R$ 400 milhões em rodada pré-IPO.

LOGTECH
Cobli recebe aporte de US$ 35 milhões

Rodada série B foi liderada pelo SoftBank, com participação de outros quatro fundos.