Stewart Butterfield, CEO e cofundador da Slack. Foto: divulgação.

A Slack, plataforma concorrente do Microsoft Teams, anunciou o lançamento do Slack Connect, sua tentativa de substituir o email nas empresas.

O recurso já está disponível para usuários pagos da plataforma, embora também seja possível executar uma avaliação estendida gratuitamente.

De acordo com o site The Next Web, a ideia parece simples em um primeiro momento: a ferramenta permite que até 20 organizações se comuniquem diretamente através dos canais do Slack. 

As organizações podem se vincular a ferramentas simplificadas, que devem ser muito mais rápidas que o fluxo do email, sem mencionar a possibilidade de comunicação através de emojis.

No entanto, existem várias complicações com essa ideia, que a Slack afirma estar trabalhando nos últimos quatro anos para mitigar. 

Uma delas é que diferentes organizações têm diferentes protocolos de segurança e requisitos para armazenar dados de comunicação, como poderia ser o caso do contato entre uma startup, um banco e uma equipe jurídica, por exemplo.

A Slack informou que refez sua infraestrutura para permitir que todas as organizações possam atender aos seus padrões particulares ao mesmo tempo em que possibilitam comunicações contínuas com as outras empresas. 

Também foi necessário reformular a interface para deixar claro quando se está em contato com alguém de fora da organização, assim como saber quem está a par dessas conversas. 

A empresa também está trabalhando para vincular calendários entre organizações, o que será possibilitado com as próximas integrações do Outlook e do Google Calendar. 

Elas permitirão ao Slack verificar as agendas das empresas e sugerir horários disponíveis em comum.

A Slack diz que está testando o recurso em uma versão beta mais ampla nos últimos meses, com mais de um milhão de usuários, incluindo desde agências governamentais até conversas sobre suas próprias rodadas de investimento.

Além da velocidade de comunicação por meio do aplicativo, a empresa promete aumentar a segurança em um nível básico, uma vez que 90% da violação de dados vem de ataques de phishing.

“O email é uma porta aberta para ameaças à segurança de uma organização - perdas de US$ 12 bilhões são causadas por golpes de email corporativos”, afirma Larkin Ryder, diretor de segurança da Slack.

Para esse fim, a empresa disse que está trabalhando em um sistema de verificação semelhante ao Twitter, para que os usuários possam ter uma indicação clara de que estão se comunicando com as pessoas certas.

A Slack tem mais de 122 mil clientes pagos, com um crescimento de 28% ao ano. No total, mais de 750 mil organizações estão usando um plano de assinatura gratuito ou pago, número que estava em 660 mil no final do último trimestre.

Embalado pela onda de trabalho remoto vinda com a pandemia, o Slack cresceu 50% no primeiro trimestre de 2020 em comparação com o mesmo período do ano passado.