Representantes da Mediastream com o presidente do Inter, Marcelo Medeiros.

O Internacional fechou um contrato com a Mediastream Brasil, empresa especializada em plataformas digitais, e passará a ter um canal de streaming na Internet de alguns dos seus jogos.

A InterPlay mostrará ao vivo partidas que não tem seus direitos de transmissão vendidos, como amistosos do time profissional, jogos das equipes sub-23 e sub-20 e futebol feminino.

Além disso, estará disponível conteúdo sob demanda como programas exclusivos com jogos e gols produzidos pelo clube gaúcho.

Até onde a reportagem do Baguete pode averiguar, esse é o primeiro grande contrato no meio esportivo brasileiro da Mediastream, uma empresa fundada em 2007 em Santiago do Chile.

No seu país de origem, no entanto, a companhia trabalha com streaming com os principais canais de televisão do país, incluindo jogos da seleção chilena, por exemplo. A empresa também está presente na Colômbia e Uruguai.

A Mediastream é presidida no Brasil desde 2014 por Marcos Lopes, um executivo com passagens por altos cargos na GVT e Positivo.

A chegada por aqui coincidiu com um investimento de US$ 1,4 milhão do fundo Inversur, da Telefõnica. O contrato com o Inter com certeza abrirá portas para a Mediastream.

De acordo com dados da pesquisa feita pelo Ibope a pedido do jornal esportivo Lance, o Inter era em 2014 o nono. clube mais popular do país, com 5,6 milhões de torcedores (o rival Grêmio é o oitavo, com 6 milhões e o líder é o Flamengo, com 32,5 milhões).

(P.S. Como torcedor do Inter, este repórter deseja sucesso às iniciativas digitais do clube e sugere a investigação imediata sobre plataformas de realidade virtual como uma alternativa à iminente conquista da Libertadores da América pelo Grêmio. Obrigado).