Contrato de serviços em nuvem para o Pentágono gera aliança contra AWS. Foto: DoD/USA.

Oracle, SAP, General Dynamics, Red Hat, VMware, Microsoft, IBM, Dell Technologies e Hewlett Packard se uniram todos contra um adversário comum: a Amazon Web Services.

O motivo é um contrato de computação em nuvem de US$ 10 bilhões do Pentágono, o departamento de defesa americano.

As empresas se uniram para coordenar sua oposição à decisão do governo de conceder o contrato a um único fornecedor, segundo e-mails obtidos pela Bloomberg News

Os membros mais ativos da coalizão, que tenta evitar mais uma grande vitória da Amazon no mercado de nuvem, são Oracle, Microsoft e IBM, segundo duas fontes da Bloomberg familiarizadas com o assunto. Dell e HPE também tem maior envolvimento.

A SAP e as outras participantes não são consideradas as principais candidatas ao contrato, se uniram ao grupo para lutar contra os planos do Pentágono trabalhar com um único concorrente, o que pode prejudicar futuros contratos militares.

O Pentágono anunciou uma competição para encontrar um fornecedor único para o contrato de serviços em nuvem de bilhões de dólares em março. Desde então, pausou o processo de licitação para o projeto, que faria a transição de grandes quantidades de dados do Departamento de Defesa para um sistema de nuvem. O governo disse que ainda planeja firmar o acordo até setembro.

O interesse generalizado das empresas de tecnologia em pressionar o Pentágono para mudar sua abordagem de compras indica a importância deste acordo para provedores de nuvem que lutam para alcançar a AWS.

As empresas iniciaram conversas sobre uma licitação conjunta para o contrato, também de acordo com fontes da Bloomberg.

Para promover sua agenda, os aliados de tecnologia têm traçado estratégias por e-mail e telefone, cortejando o comércio e a grande mídia e fazendo lobby junto aos legisladores, autoridades de defesa e à Casa Branca.

A coalizão já conseguiu algumas vitórias, pois o comitê da Câmara encarregado dos gastos federais aprovou uma lei de financiamento do Departamento de Defesa que suspenderá o financiamento do contrato até que o Pentágono apresente uma estratégia para sustentar a concorrência e usar múltiplos provedores de serviços em nuvem.