OPINIÕES

ServiceNow não fará compras

28/01/2022 06:49

CEO Bill McDermott faz um comentário indireto sobre a estratégia da SAP.

Bill McDermott, CEO da ServiceNow. Foto: Divulgação

Tamanho da fonte: -A+A

A ServiceNow, multinacional de software para gestão de workflows, não vai fazer aquisições de outras empresas.

A revelação foi feita pelo CEO da companhia, Bill McDermott, durante uma conferência com analistas.

“Não temos alvos para fusões e aquisições. Quando eu escuto engenheiros em outras empresas que querem vir para cá, eles dizem que passam 90% do tempo fazendo integrações, no lugar de inovar para o futuro”, disse McDermott.

Uma declaração notável, tendo em conta que McDermott, no comando da Servicenow desde 2019, veio da SAP, onde liderou mais de 40 aquisições em uma década, incluindo aí diversos negócios com valores na casa do bilhão de dólares para cima.

É de se imaginar como as declarações do ex-CEO foram recebidas na sede da SAP na Alemanha, que pagava para McDermott o maior salário entre os CEOs das empresas de capital aberto do país.

Ou mesmo os clientes comuns, pensando em fechar um grande projeto com a multinacional alemã, que tipicamente inclui um sistema de gestão interligado com softwares adquiridos pela empresa ao longo dos anos. 

Mais interessante ainda é o diagnóstico de McDermott ser compartilhado em altas instâncias dentro da SAP.

Hasso Plattner, um dos fundadores e atual presidente do conselho de administração da SAP, criticou a estratégia de aquisições da empresa abertamente em uma entrevista em maio de 2020 para o Handelsblatt, o maior jornal de economia da Alemanha.

“Nós compramos algumas empresas porque eles tinham uma quantidade bacana de usuários. Isso não é o suficiente”, afirmou Plattner, em uma afirmação dura até para os seus padrões de franqueza germânica.

Segundo Plattner, o último dos cinco fundadores envolvidos diretamente na SAP, a estratégia de McDermott de manter as companhias adquiridas nos Estados Unidos com uma atuação independente gerou um conflito com a matriz alemã, além de problemas de integração tecnológica.

Plattner chegou a citar como exemplo de uma política de integração de empresas adquiridas da concorrente Oracle, o que é um requinte de crueldade.

“Tão logo a Oracle compra uma empresa, os chefes antigos vão para casa. Isso foi assim inclusive com o CEO da Sun. E isso nós devemos fazer no futuro, porque só existe um caminho: o da integração”, disse Plattner. “A integração na SAP não funciona, isso é um fato”, concluiu Plattner.

Também é chamativo que a última grande compra da SAP foi a Qualtrics, uma startup especializada em tecnologia de pesquisa de satisfação de consumidores e empregados, pela qual a empresa pagou € 8 bilhões em 2018.

Veja também

VERDE
SAP tem reforço em sustentabilidade

Gigante alemã tinha o discurso, agora tem também um produto e uma diretoria para o tema.

E-COMMERCE
Weiden agora é CTO da VTEX

A executiva tem no currículo empresas como Unico, Facebook e Google.

ROTAS
Buser adota S/4 Hana

Projeto é da Seidor. SAP está em alta entre startups de tecnologia no Brasil.

LANCHES
Simone está no McDonald’s

Executivo sai da Petrobras para reeditar dobradinha com Leandro Balbinot.

MENSAGENS
Slack contrata ex-SAP no Brasil

João Araújo lidera um time contratado nos últimos quatro meses no país.

REGRAS
SAP Ariba usa Systax

Software de e-procurement agora tem motor de cálculo brasileiro para impostos.