Camilo Telles, fundador da Antecipa. Foto: Divulgação.

A Antecipa, plataforma de antecipação de recebíveis, acaba de receber um aporte de R$ 4,5 milhões da Redpoint eventures.

Fundada em 2015 por Camilo Telles, a empresa desenvolveu um algoritmo de precificação que gerou aprovação de 98% dos pedidos feitos pelos clientes. 

“Focamos em um nicho de mercado que facilita a análise de risco de crédito, ou seja, grandes empresas antecipando crédito para seus próprios fornecedores. Isso garante um ciclo saudável para ambos os lados”, afirma Telles.

A empresa atende a cerca de 700 clientes, entre eles companhias como Movida e GOL. Nos últimos três meses, a fintech cresceu 20% ao mês. 

“Queremos operar para integrar a plataforma ao departamento de Contas a Pagar das corporações. Com esse investimento queremos desenvolver ainda mais nossa tecnologia, tornando-a robusta o bastante para atender mais empresas”, diz Telles.

Com um plano de expansão em andamento, a empresa espera atender 10 mil empresas  em seis meses. Em dois anos, o objetivo é alcançar mais de 100 mil clientes. 

Fundada em Salvador, na Bahia, a startup já antecipou mais de R$ 100 milhões e movimenta 25 mil negócios cadastrados na plataforma.

Telles desenvolveu a ferramenta pensando no caixa das empresas. 

“Com o uso de algoritmos matemáticos, conseguimos desenvolver uma mecânica em que as taxas de desconto variem na ordem de 1,4% a 3,5%, uma média de 2,9% ao mês, descentralizando o sistema bancário e rentabilizando o fluxo de caixa”, pontua.

De acordo com Telles, as PMEs têm dificuldade para encontrar uma boa fonte financeira para ter capital de giro a taxas mais acessíveis. Assim, antecipar recebimentos pode ser uma aposta para manter o fluxo de caixa.

“Na outra ponta, quem tem capital disponível para investir precisa driblar o desafio de encontrar alternativas rentáveis para superar os ganhos dos investimentos em fundos e na poupança”, explica.

A solução da Antecipa é integrada ao ERP para realizar antecipação de pagamentos dos próprios fornecedores. 

“Desta forma, é uma alternativa às aplicações de curto prazo para o comprador e uma linha de crédito de baixo custo para o fornecedor”, finaliza o executivo.