Operações da Castrolanda em Castro, no Paraná.

A Castrolanda, uma das maiores cooperativas agrícolas do Paraná, está implementando o software de gestão S/4 Hana da SAP, em um projeto com consultoria da FH, parceria da multinacional sediada em Curitiba.

Com início previsto para as próximas semanas, o projeto deve se estender por três anos, envolvendo mais de 50 profissionais de TI.

Também será implementado o Guepardo, solução fiscal da FH que funciona integrada ao SAP.

Dividido em três ondas, do backoffice à gestão das indústrias, o projeto acompanha a transformação digital da cooperativa, que terá os dados mestres unificados, incluindo informações de clientes, cooperados, fornecedores e produtos.

Sediada em Castro, no interior paranaense, a Castrolanda tem 877 cooperados,  3.153 colaboradores e um faturamento de R$ 2,91 bilhões, produzindo alimentos como carnes, leite, batata e feijão. 

A área de cooperativas agrícolas tem sido uma das poucas no país a fechar grandes projetos de implantação de ERPs com alguma frequência nos últimos meses.

A agricultura seguiu crescendo apesar da crise e muitas cooperativas rodam sistemas antiquados, desenvolvidos por pequenas empresas regionais ou mesmo internamente, mesmo segundo organizações com faturamento. 

Hoje, todos os grandes players do segmento têm cases recentes na área. 

A Minasul, uma das maiores cooperativas de café do Sul de Minas, implantou o sistema de gestão AX da Microsoft com consultoria da Inove.

A SLC Agrícola, um dos maiores grupos de produção de commodities agrícolas do país, começou a substituição de uma série de tecnologias de diferentes fornecedores, incluindo o sistema de gestão da Oracle, por um novo ambiente baseado em produtos da Totvs.

Já a Frísia fechou com a Oracle um projeto de implantação de ERP com tecnologia e infraestrutura da multinacional. 

A Coopercitrus, uma das maiores cooperativas agrícolas de São Paulo, fechou uma implantação de SAP em um projeto da SPRO IT.

A FH conta com mais de 250 clientes ativos, atendidos por 600 colaboradores espalhados por Curitiba, São Paulo, Porto Alegre, Joinville, Rio de Janeiro, Brasília, Stuttgart e Madrid.