Projeto da Audi com a Capgemini está envolto em mistério. Foto: Pexels.

A Capgemini e a Audi acabam de formar uma joint venture, focada em serviços de nuvem e no S/4 Hana, a última geração do software de gestão da SAP.

O novo empreendimento ainda não tem nome e ainda está pendente de aprovações regulatórias.

Fora isso, Capgemini e Audi não divulgaram nada sobre a nova empresa. Não se sabe qual será o quadro executivo, as regiões de atuação ou se a empresa terá foco em alguma vertical de mercado em específico.

As empresas dão uma pista, no entanto. 

Lembrando que as duas organizações tem “uma parceria de longa data no desenvolvimento de soluções para transformação digital e co-inovação”, a nota divulgada afirma que a nova empresa “fortalecerá essa colaboração e alavancará suas capacidades conjuntas”. 

A partir daí, é possível deduzir o que aconteceu. Provavelmente, a Audi, uma cliente SAP de longa data, está conduzindo ela mesma um projeto de migração para o S/4 Hana rodando em alguma nuvem.

A última grande iniciativa da Audi relativa ao seu sistema de gestão data de 2011, quando a montadora alemã divulgou que havia migrado seu ERP para uma nuvem privada hospedada em um data center próprio usando tecnologia da IBM.

O contrato previa que a IBM faria a gestão da infraestrutura por quatro anos, até 2015 por tanto. 

Ele pode ter sido renovado até agora, quando a Audi decidiu que era hora de dar o salto para alguma outra configuração de nuvem, talvez com uma parte rodando em nuvem pública, ao mesmo tempo em que implementa um novo ERP.

Montadoras tem operações de manufatura sofisticadas, espalhadas por diversos países, além de um modelo comercial particular, envolvendo concessionárias. É um cliente ideal para um projeto complexo de TI.

Talvez por isso mesmo, uma montadora ter uma empresa de TI não é um movimento inusual. 

A Volkswagen, para dar um exemplo, tinha uma empresa de TI própria. Criada ainda nos 80, a Gedas chegou a ter 5,5 mil funcionários e um faturamento de € 600 milhões. 

A empresa foi vendida para a T-Systems em 2006.

A Volkswagen, aliás, fechou no ano passado um mega contrato com a AWS, por meio do qual dados de 122 fábricas da montadora serão processados na nuvem da companhia americana.

O time trabalhando no projeto inclui 220 pessoas da AWS e da VW trabalhando a partir dos centros de TI da montadora, no que deve ser uma relação similar do que a Audi mantém com a Capgemini, ainda que não tenha evoluído para uma joint venture. A Ford é outra grande montadora em um projeto com a AWS.

A joint venture da Capgemini com a Audi tem um grande potencial.

A Capgemini tem quase 220 mil profissionais em mais de 40 países. Em 2019, a empresa reportou uma receita global de 14,1 bilhões de euros.