Solemar Andrade, CEO da Plusoft.

A Plusoft, empresa brasileira de software de gestão de relacionamento com clientes (CRM), fechou a compra da DTM, empresa do grupo Ibope especializada em marketing de relacionamento, em um negócio de R$ 27,8 milhões. 

A empresa tem uma grande base de dados sobre preferência de consumidores, além de fazer monitoramento de redes sociais e uso de técnicas de estatística para campanhas de marketing. 

É um nicho de mercado antigo na área de comunicação, revitalizado nos últimos tempos pelo buzz em torno de termos como big data e a alta do marketing digital, que usa as mesmas ferramentas em outro contexto.

Com a compra, a Plusoft agrega os 150 funcionários da DTM, a maioria deles estatísticos, ou, como se diz hoje em dia, cientistas de dados, além de uma carteira de 30 nomes incluindo grandes varejistas como Leroy Merlin, Pague Menos; montadoras como Ford, Citroen e Hyundai e operadoras como Claro e TIM.

A Plusoft já tinha 300 funcionários. A empresa tem uma base de 185 clientes, nos quais atende 70 mil usuários. Existe pouca sobreposição entre as duas bases. O faturamento das duas empresas juntas deve ser de R$ 100 milhões em 2021.

“Estamos entusiasmados com a aquisição. Temos excelentes oportunidades para integrar soluções de ciências de dados ao portfólio da Plusoft, gerando insights poderosos para os nossos clientes e ampliando os horizontes desses negócios”, diz Solemar Andrade, CEO da Plusoft.

Segundo Bernardo Canedo, fundador da DTM, que assumirá a vice-presidência-executiva da Plusoft, a DTM buscava se associar a uma empresa alinhada à sua expectativa de crescimento. 

“A conversa com a Plusoft começou há quase um ano com esse mote. Data Science e CRM estão na crista da onda e passamos a achar que precisávamos surfar essa onda”, comenta ele.

A DTM está no mercado desde 2004 e chegou a fechar uma fusão com o Ibope, referência brasileira em pesquisas de consumidor, em 2013.

Em 2014, a multinacional Kantar comprou a parte do Ibope focada em medição de audiência de TV. A empresa de pesquisa, conhecida pelos levantamentos eleitorais, seguiu independente com o nome Ibope Inteligência, licenciando o nome Ibope dos novos donos. É aqui que ficava a DTM.

No final de janeiro, o Globo revelou que com o final do contrato de licenciamento com a Kantar, a versão independente do Ibope deixaria de existir.

A família Montenegro, que controla a Ibope Inteligência, deixou  o ramo após 79 anos de atividade. Alguns dos executivos formaram o Ipec (Inteligência, Pesquisa e Consultoria), também na área de pesquisa.

Já há alguns anos que a Plusoft vem agregando novas soluções ao seu portfólio, se definindo nos últimos anos como uma empresa de Human Experience (HX), agregando funcionalidades de automação de marketing, sistemas de tomadas de decisão, consultoria de relacionamento e ciência de dados.