EM ALTA

Viasoft investe na Market4u

04/08/2020 12:51

Startup curitibana é especializada em mini mercados autônomos para condomínios residenciais.

Empresa pretende chegar a 5 mil franquias em 2021. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Market4u, startup curitibana especializada em mini mercados autônomos instalados em condomínios residenciais, recebeu um investimento da empresa Viasoft, voltada para o desenvolvimento de softwares de gestão.

As empresas não revelaram o valor do aporte, mas informaram que, com esse investimento, a Market4u passa a ter avaliação de mercado de mais de R$ 60 milhões, valor que esperam subir rapidamente devido aos novos hábitos de consumo.

Itamir Viola, CEO da  Viasoft, deverá fazer parte das decisões estratégicas junto à diretoria do Market4u.

Criada em 2019 em Curitiba, a Market4u é comandada por Eduardo Cordova, que também é CEO da Byke Station, rede de franquias de vending machine, e do BioGrupo, dono das duas empresas e de outras 11 com mais de 200 colaboradores.

O BioGrupo teve origem em 1975 através da Fazenda Contabilidade. Ao longo do tempo, a empresa passou a atuar nos segmentos de comércio, indústria, serviços e tecnologia. 

A proposta da Market4u é oferecer para os moradores dos condomínios um pequeno mercado com produtos essenciais para o dia a dia, permitindo que os moradores façam suas compras sem sair de casa.

Em um curto período após o lançamento do seu produto viável mínimo (MVP), a startup expandiu suas operações para outras capitais brasileiras, como São Paulo, e teve um aumento de unidades multiplicado por 17 desde a sua fundação. Com a pandemia, seu faturamento aumentou 20 vezes.

Atualmente, a empresa possui mais de 300 mini markets em implantação, mais de 100 unidades já inauguradas e mais de 300 franquias vendidas para todas as regiões do Brasil. Para 2021, a previsão é chegar a 5 mil franquias.

Segundo a Market4u, a participação da Viasoft é extremamente estratégica devido à incorporação da  tecnologia de IoT da VisionSpace, startup do grupo Viasoft. 

Com ela, será possível detectar sempre que um cliente chega para comprar em qualquer um dos pontos de venda no Brasil, além do controle de automação do espaço como, por exemplo, a abertura das travas das geladeiras e monitoramento de segurança.

A ferramenta também possibilita que o operador fale com o cliente através do sistema de áudio.

Sediada em Pato Branco, um município de 82 mil habitantes no sudoeste do Paraná, a Viasoft está em ascensão, tendo fechado seis compras de empresas de sistemas de gestão nos últimos cinco anos, ampliando a oferta para setores como varejo, indústria e gestão de pessoas.

A companhia tem hoje 500 funcionários. Seu evento anual, o Viasoft Connect, atrai 20 mil participantes.

Veja também

ROSTOS
Acesso Digital compra Meerkat

Startup gaúcha desenvolve tecnologia na área de biometria facial, um campo quente.

VAREJO
RedeMed tem gestão de vendas com Joinkey

Grupo de farmácias com foco na região Nordeste tem forte atuação com cartão próprio.

CARRINHO CHEIO
Magalu compra startup HubSales

Com plataforma que conecta fabricantes a consumidores finais, empresa entra no comércio F2C.

EDTECH
Classpert recebe aporte de R$ 5 milhões

Rodada foi liderada pela Iporanga Ventures com participação da Canary e de investidores anjo.

VELHO NORMAL?
Home office começa a recuar

Dados do IBGE mostram primeiro recuo desde o início da pandemia: 7,8% voltaram para escritório.

SAÚDE
Fleury e Sabin compram 30% da Prontmed

Empresa especializada em prontuários eletrônicos quer se posicionar como uma provedora de dados estruturados.

TIROTEIO
Startups fazem campeonato de Counter Strike

16 companhias participam do primeiro campeonato do jogo, com direito a final no Twitch TV.

SAÚDE
Soma: mais serviços em farmácias com Clinicarx

Startup de Curitiba ajuda a diversificar as fontes de renda dos estabelecimentos.

FINTECH
Magnetis recebe aporte de R$ 60 milhões

Rodada foi liderada pela Redpoint eventures com participação da sueca Vostok Emerging Finance.

ABERTO
Serviços bancários digitais: uma revolução

Chegada do open banking deve abrir as portas para ainda mais fintechs.