Bill McDermott.

A SAP anunciou um ataque frontal contra a Salesforce com o C/4 Hana, um novo software de gestão de relacionamento com o consumidor (CRM, na sigla em inglês), que combina uma série de aquisições feitas nos últimos anos.

A ideia da SAP é conectar o CRM mais proximamente com os softwares de gestão empresarial e gestão de cadeia de suprimentos na retaguarda, em uma solução rodando no banco de dados em memória Hana, como já funcionam as últimas versões do ERP.

O C/4 Hana incorpora a plataforma de gestão de e-commerce Hybris, o software de gerenciamento de identidades de clientes Gigya e Callidus, uma solução na nuvem que oferece para equipes comerciais dados em tempo real sobre preços, incentivos e informações.

A Hybris foi comprada em 2013 por um valor não revelado. A Gigya e Callidus são aquisições dos últimos dois anos, tendo custado respectivamente US$ 350 milhões e US$ 2,4 bilhões. 

Em uma apresentação durante o SapphireNow, evento mundial da SAP realizado em Orlando, o CEO da companhia, Bill McDermott, disse que era hora de “renovar sistemas de CRM legados”, que são centrados em torno de vendas.

O discurso de McDermott é dirigido à SalesForce, companhia que pioneirizou o modelo de software pode assinatura na nuvem, transformando as soluções da SAP e da Oracle nos produtos legados.

A SAP agora quer dar o troco, por meio de integrações com o SAP S/4 Hana e soluções de machine learning empacotadas no SAP Leonardo.

McDermott já tinha falado do tema CRM durante a conferência de resultados do último trimestre da SAP.

“Vamos retomar a posição de liderança em CRM”, afirmou McDermott, durante conferência telefônica com analistas financeiros.

O CEO da SAP disse também na ocasião que a SalesForcenão tem um sistema de gestão próprio e precisa “inventar uma metodologia” para conectar dados do ERP com CRM, algo que a SAP pode fazer nativamente.

Na ocasião, a SAP superou pela primeira vez a barreira do € 1 bilhão em vendas de software na nuvem. 

Os resultados mostraram a saúde do negócio cloud da SAP, em um trimestre que a empresa como um todo não teve crescimento, ficando nos mesmos € 5,26 bilhão do ano anterior e as vendas de licenças e suporte, ainda a maior parte do faturamento da empresa, caíram 4%.

A SAP está com essa bola toda? Analistas apontaram que promover vendas cruzadas e alavancar seu domínio no mercado de ERP para grandes empresas é um dos pontos fortes da multinacional alemã.

Por outro lado, a SalesForce acaba de superar pela primeira vez a barreira de US$ 3 bilhões de faturamento em um semestre, com um crescimento de 24,5% em um negócio que gira basicamente em torno de CRM.

Segundo dados da TechTarget, a SalesForce tem uma participação de 22% no mercado de CRM, tendo na sua mão a maioria das empresas do ranking Fortune 100.

A SAP tem 13%, não muito longe da Oracle, que tem 10%. A Microsoft fecha a fila das quatro maiores, com 5%, estando o resto fragmentado entre dezenas ou centenas de players de nicho.