Foto: Pixabay.

A Lemon Energia, startup que conecta as empresas geradoras de energia limpa com os pequenos e médios negócios, recebeu um aporte de valor não revelado da Z-Tech, braço de corporate venture da Ambev, e da Capitale Energia, que atua no mercado livre de energia.

Criada em 2019, a Lemon Energia foi fundada por Rafael Vignoli (CEO), Luciano Pereira (CTO), Ariel Bozza Amar (CFO) e Rafael Mezzomo.

De acordo com o site NeoFeed, a proposta da startup é entregar a energia sem qualquer investimento e sem a necessidade de instalação nenhuma estrutura física, como placas fotovoltaicas.

Para isso, a Lemon conecta usinas de energia solar ou eólica à rede de grandes distribuidores. Essa energia é transformada em créditos, que são descontados na conta das empresas que são clientes da startup. 

Na prática, é como se as empresas clientes estivessem alugando placas solares para produzir energia solar – e a Lemon funciona como um intermediário entre os dois elos da cadeia de energia.

A startup cobra uma taxa de quem gera a energia, enquanto o pequeno comerciante não paga nada e economiza na conta. O valor cobrado das empresas geradoras é um percentual variável, que depende de negociações. 

Atualmente, a Lemon tem capacidade de 300 megawatts de energia limpa, o suficiente para  atender 40 mil estabelecimentos comerciais.

Em setembro do ano passado, a startup captou US$ 1 milhão em uma rodada seed que contou com a participação dos fundos Canary e da Big Bets, além de alguns investidores-anjo.

Com o segundo aporte, a companhia pretende levar essa proposta para os mais de 700 mil bares, restaurantes e supermercados que fazem parte da rede de distribuição da Ambev.

A startup já fez um projeto piloto com 200 bares e restaurantes mineiros, com a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), e conseguiu uma economia média de duas contas de energia por ano nos estabelecimentos.

Neste ano, a ideia da Lemon é expandir a operação no estado. A startup também opera em Brasília e está finalizando os detalhes para estrear no Paraná, através de um acordo com a Companhia Paranaense de Energia (Copel).

Além disso, o valor será usado para investir em tecnologia e no aumento dos funcionários. Atualmente, a equipe conta com 23 pessoas e o plano é dobrar o número até o fim deste ano.

Para 2021, a Lemon planeja fechar acordos com mais 10 distribuidores de energia para começar a oferecer seu serviço em São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso e alguns estados do Nordeste.

Esse é o quarto investimento da Z-Tech desde a sua criação, no começo do ano passado. 

“Queremos fomentar o ecossistema de pequenos e médios negócios. Com a Lemon, poucas vezes vi um alinhamento tão grande com o que a gente quer construir”, contou Roberto Guido, CEO da Z-Tech no Brasil, ao NeoFeed.

A empresa foi criada pela AB InBev, dona da Ambev, como um hub de inovação e está presente nos Estados Unidos, México e Brasil. Sua missão é digitalizar o pequeno varejo, buscando soluções para que sejam mais eficientes ou possam reduzir seus custos. 

No portfólio da Z-Tech, também estão: a Menu, um marketplace de alimentos, bebidas e produtos de limpeza; a carteira digital Donus; e o Get In, um aplicativo que faz reservas on-line. Nenhum dos cheques teve o valor revelado.