Sede da Enel Distribuição São Paulo. Foto: divulgação.

A Enel Distribuição São Paulo, concessionária de distribuição de energia elétrica, informou um “incidente local” envolvendo dados de cerca de 4% da base de clientes da companhia, o que significa cerca de 300 mil pessoas.

Todos os clientes afetados são do município de Osasco, localizado na Região Metropolitana da capital paulista.

Segundo o site Convergência Digital, os dados vazados seriam itens como CPF, e-mail, número da conta bancária, consumo de eletricidade, endereço, telefone fixo e telefone celular, entre outros.

Em nota publicada na última segunda-feira, 9, a companhia disse que desabilitou imediatamente o acesso ao banco de dados em questão e iniciou um processo de verificação interna, além de comunicar o fato às autoridades competentes. 

“Todas as medidas necessárias estão sendo adotadas para reforçar a segurança dos sistemas da companhia”, afirmou a Enel em nota. 

A empresa garantiu que todos os clientes afetados estão sendo notificados direta e individualmente por meio de e-mail ou carta, em conformidade com a legislação de proteção de dados.  

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) obriga a comunicação ao mercado, mas a companhia não poderá ser punida agora porque as sanções só valem a partir de agosto de 2021.

Ainda de acordo com o CD, o caso teria de ser reportado à Autoridade Nacional de Dados, que já tem o conselho diretor eleito, mas ainda não tem dinheiro, nem sabe onde vai funcionar.

A Enel é uma empresa italiana que assumiu as operações da Eletropaulo em 2018. Ela fechou o terceiro trimestre de 2020 com 7,4 milhões de clientes em 24 municípios da Grande São Paulo, com lucro de R$ 159,4 milhões no período.