APORTE

Wevo capta investimento

15/05/2018 17:19

O aporte foi feito pelo fundo Cventures Primus e pelo empreendedor Cileneu Nunes.

Diogo Lupinari, co-fundador e CEO da Wevo. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Wevo, fornecedora de uma plataforma em nuvem para a integração de diversos sistemas utilizados em operações de e-commerce, recebimento um investimento “milionário” de valor não-revelado em rodada Série A.

Série A, no jargão do mundo de investimentos, é o primeiro aporte significativo de fundos de investimento, normalmente feito depois da entrada de aceleradora, investidores anjo e outras adições de capital de menor porte.

Não existem dados para o mercado brasileiro, mas nos Estados Unidos um aporte de série A típico fica entre US$ 2 milhões e US$ 10 milhões, em troca de 10% a 30% da companhia.

O investimento na Wevo foi feito em conjunto pelo fundo de Venture Capital Cventures Primus, que investe em empresas inovadoras de base tecnológica, e pelo empreendedor do segmento de tecnologia Cileneu Nunes, fundador da líder em telemática Omnilink.

Com o aporte, a companhia projeta um faturamento de R$ 7 milhões em 2018 e um crescimento anual de 50%, chegando a R$ 35 milhões em 2022.

"Agora, além de facilitarmos a integração com mais de 100 sistemas de e-commerce, ERP, CRM, atendimento e chat, também fazemos a conexão com grandes marketplaces do mercado como B2W, Via Varejo, Mercado Livre, Amazon, Magazine Luiza e Walmart. Apoiamos as empresas a integrar sistemas, vender em marketplaces e a analisar em tempo real a saúde de suas integrações e os dados da operação", explica Marcelo Aguiar, co-fundador e CTO.

O aporte ainda possibilita a empresa triplicar o seu quadro de funcionários, chegando a 60 colaboradores, e expandir a sua sede em São Caetano do Sul, que deve ter outra mudança no início de 2019 para um espaço de 600m², quatro vezes maior que o atual.

"Temos grandes planos pela frente. Empresas no mundo inteiro precisam conectarem sistemas e dados. Não é uma particularidade do Brasil, é uma realidade mundial devido principalmente ao crescimento da oferta de soluções de nicho para processos de e-commerce e back-office. Não há um grande player no segmento de IPaaS (Integration Platform as a Service) na América Latina e entendemos que nosso negócio tem potencial real para alcançar esta posição e ser global", afirma Diogo Lupinari, co-fundador e CEO da empresa.

Antes da Wevo, Lupinari atuou como consultor SAP em empresas como WABR Consultoria, BBKO Consulting, Letnis Business Solutions e Sonda Procwork.

Sediada em São Caetano do Sul, a Wevo tem entre seus clientes marcas como Whirlpool, Volvo, Decathlon, Drogaria São Paulo, Unilever, Leveros, Multilaser e Nestlé.

Veja também

CRISE
Neon: banco e fintech são diferentes

O Banco Neon e a Neon Pagamentos são duas pessoas jurídicas diferentes, de tal forma que os problemas de uma não influenciam necessariamente na operação da outra.

CERTIFICADOS
Dinamo: parceria com ACs para HSM

A Dinamo Networks acaba de receber um aporte de R$ 3 milhões da Soluti.

INOVAÇÃO
Natura acelera startups com CESAR

Serão nove meses de aceleração, quando a Natura irá contribuir para o desenvolvimento das empresas.

FUNDO
Santander investe na plataforma Creditas

Este é o primeiro aporte do Santander InnoVentures no Brasil e o segundo na América Latina.

MARKETING
Guga é embaixador da Neoway

O apoio do tenista de destaque mundial colabora com o plano de expansão no exterior da empresa. 

EXPANSÃO
Workana capta R$ 23 milhões

O aporte foi feito pela SEEK, acionista de empresas como Brasil Online Holdings - controladora da Catho.

VALE DO SILÍCIO
Wharton Angels buscam startups do Brasil

Eduardo Küpper e Guilherme Freire se conheceram em Wharton durante o mestrado.

STARTUP
Pipefy recebe aporte de US$ 16 milhões

A rodada de investimentos Série A foi encabeçada por OpenView Partners e Trinity Ventures.