Baguete
InícioNotícias> Plusoft compra plataforma de cursos

Tamanho da fonte:-A+A

INVESTIMENTO

Plusoft compra plataforma de cursos

Maurício Renner
// quarta, 15/08/2018 05:11

A Plusoft, companhia especializada em soluções para atendimento, adquiriu a Edusense, uma plataforma de cursos online e gerenciamento de aprendizagem, voltada para os mercados B2B e B2C.

Solemar Andrade.

Não foi aberto o valor do negócio.

A Edusense é o que se chama de uma “edtech”, uma startup focada no segmento de educação, fundada ainda neste ano por Vinícius Arakaki, um empreendedor experiente no segmento de educação à distância.

Arakaki fundou A+ Tecnologia Interativa que desenvolveu projetos de e-learning para clientes como Bradesco, Peugeot, CPFL. A partir de 2010, o empreendedor tocou também a   TAEX, outra companhia com foco na área.

A Edusense tem hoje 100 cursos direcionados para o desenvolvimento de habilidades comportamentais, os chamados “soft skills”, com um formato gamificado. Os conteúdos são objetivos e diretos, o que é chamado no jargão de “microlearning”. 

“A constante necessidade de atualizar habilidades e técnicas comportamentais, motiva a busca das pessoas por aprendizado rápido, sem as barreiras de horário e local”, afirma Solemar Andrade, CEO da Plusoft.

A Plusoft tem um portfólio com oito marcas que inclui soluções de CRM omnichannel, inteligência artificial, automação de processos e plataformas digitais de relacionamento.

A empresa tem 1,4 mil funcionários e atende 250 clientes e 70 mil usuários no Brasil, a maioria deles empresas de grande porte.

Uma parte importante do portfólio é formado por companhias do segmento de contact center, que possuem equipes grandes com grande rotatividade de pessoal, um bom fit para a solução da Edusense.

A Plusoft deve fechar mais negócios como o da Edusense.

Em uma entrevista recente com o Baguete, o novo CEO da Plusoft, Solemar Andrade, revelou que está negociando um aporte de capital junto a fundos de investimentos e family offices, com a expectativa de levantar até R$ 100 milhões, a serem usados na expansão da empresa, incluindo aquisições de tecnologias complementares para o portfólio.

Maurício Renner