Projeto-piloto foi implementado no Aeroporto de Congonhas. Foto: Divulgação.

A Gol lançou o serviço Bagagem Expressa, em que a empresa dá autonomia ao passageiro, permitindo que o autoatendimento contemple o check-in, a pesagem e etiquetagem da bagagem. 

Além disso, possibilita o pagamento de taxas de excesso de bagagem com cartão de crédito, quando necessário. 

Após essa etapa, o cliente segue para local específico onde entrega a mala ao atendente concluindo a aceitação. 

O projeto-piloto foi implementado no Aeroporto de Congonhas na primeira semana de setembro com dois totens. A expectativa é expandir até dezembro deste ano o serviço para os aeroportos de Santos Dumont, no Rio de Janeiro e Confins, em Minas Gerais. 

Com inspiração no conceito self bag drop, a segunda fase do projeto prevê que o próprio cliente protagonize as três etapas: check-in, pesagem e despacho da bagagem, diretamente na esteira. 

“Este modelo é mais prático e bem aceito por quem já está habituado ao fluxo de aeroporto e busca agilidade”, afirma André Lima, diretor de aeroportos da Gol.

Neste novo modelo, as balanças são acopladas aos totens. Em caso de excesso de bagagem, o sistema faz o cálculo automaticamente, apresentando o valor a ser pago, via cartão de crédito. 

No próximo mês, também será possível efetuar o pagamento da taxa em dinheiro. 

Em uma semana de operação, o novo serviço contabilizou 6% de usuários. De acordo com o diretor de tecnologia da GOL, Paulo Palaia, o software que permite essa integração e automatização foi criado e desenvolvido pela companhia com foco na agilidade.

“Com esse serviço, nosso objetivo é tornar o processo de check-in, pesagem e despacho de malas muito mais rápido”, conclui Palaia.