Maurício Fernandes, presidente da Dedalus.

A Dedalus, um dos maiores nomes do mercado de computação em nuvem no país, anunciou uma “união” com a Nazar, uma startup de gestão de dados fundada em 2014.

Em nota divulgando o negócio, a Dedalus não explicou o que uma “união” quer dizer em termos societários, informando apenas que a Dedalus “convidou a Nazar para ampliar e liderar o time de dados da empresa”. As equipes também trabalharão juntas.

Fica difícil imaginar qualquer outra forma que ela possa ter diferente de uma aquisição de uma participação na Nazar pela Dedalus.

A Dedalus teve um bom 2019, com um faturamento de R$ 270 milhões, o que representa uma alta de 50%. O carro chefe da Dedalus é de intermediação e gestão de contratação de nuvens públicas como AWS e Microsoft, a figura conhecida como "broker".

A Nazar foi fundada por Antônio Inocêncio e Leo Zeba, dois profissionais que já haviam fundados juntos a Sequaz, uma agência digital focada em análise qualitativa da audiência online sediada em Olinda, em Pernambuco.

Provavelmente, a agência desenvolveu alguma tecnologia proprietária para analisar os dados que levou à criação de um novo negócio.

A Nazar é parceira avançada de tecnologia da Amazon e parceiro de cloud do Google. A empresa foi investida pela ACE (Brasil), Wayra (Chile) e 500 Startups (Estados Unidos) e participou dos programas Start-Up Brasil e Start-Up Chile.

Para a Dedalus, a “união” agrega atender a migração e a sustentação de ambientes de dados para cloud.

"Conheci a Nazar como mentor, quando eles eram uma startup embrionária em 2014. Tenho muito orgulho da forte evolução e crescimento deles. Uma empresa brasileira criada com propósito, capacidade e garra”, afirma Maurício Fernandes, presidente da Dedalus.