Quase e metade da lista são fintechs. Foto: Pixabay.

As fintechs, como são conhecidas as novas empresas de serviços financeiros baseadas na Internet, são o empregador mais quente do momento entre as startups brasileiras.

Pelo menos, é o que aponta uma pesquisa feita pelo Linkedin, na qual companhias da categoria ocuparam 4 dos 5 primeiros postos e 10 entre os 25 listados.

A primeira da lista foi a Nubank, uma das fintechs mais conhecidas do país, hoje com 1,1 mil funcionários, 800 deles contratados nos 12 meses até julho de 2018, o Nubank contratou mais de 800 profissionais. 

Até meados de 2019, terá outras 200 oportunidades em finanças e engenharia.

A segunda da lista é a Creditas, de empréstimos online; a terceira o app de controle financeiro GuiaBolso e a quinta a empresa de terminais de pagamentos Stone.

Também estão na lista a Zoop (pagamentos), a Beblue (cashback e carteira  digital), o Mercado Bitcoin (criptomoedas), Vindi (assinaturas recorrentes), Geru (empréstimos), Ebanx (soluções de pagamentos em sites internacionais).

Empresas de outros setores listadas incluem a Docket (serviços jurídicos), QuintoAndar (portal de aluguéis), CargoX (cargas), Loggi (motoboys), Sky.One (cloud broker), Hotmart e RocketContent (distribuição de conteúdo), MaxMilhas (compra de milhas), Mandaê (fretes), ContaAzul, Contabilizei e Nibo (software de gestão para contadores).

De acordo com um post do Linkedin sobre o tema, a ideia da lista é “oferecer ao profissional brasileiro um panorama sobre jovens empresas que atingiram um ritmo acelerado de crescimento”. 

Foram avaliados quatro critérios: crescimento do quadro de funcionários, interesse de candidatos a vagas de emprego na companhia, engajamento do usuários com a empresa e seus funcionários, e nível de atração exercida pela startup sobre talentos oriundos das empresas que compõem a lista LinkedIn Top Companies. 

O crescimento do número de funcionários é medido pelo aumento percentual do headcount ao longo de um ano, que deve ser de no mínimo 15%. 

O engajamento tem a ver com o número de não-funcionários que estão visualizando e seguindo a página da empresa no LinkedIn, assim como a quantidade de não-funcionários que estão visualizando os funcionários da startup. 

O interesse em empregos considera a taxa de pessoas que estão visualizando vagas naquela startup e se candidatando a elas, tanto para posições remuneradas quanto para não-remuneradas. 

Para serem elegíveis ao Top Startups, as empresas precisam ter no máximo 7 anos de existência, empregar pelo menos 50 funcionários, pertencer à iniciativa privada e ter sede no Brasil.